terça-feira, 17 de maio de 2011

Stephen Hawking: vida após a morte é conto de fadas.

Stephen Hawking
A crença no paraíso ou na vida após a morte é um "conto de fadas", disse o renomado físico Stephen Hawking, 69, em entrevista ao jornal britânico "The Guardian", na edição do último domingo (15).

"Eu considero o cérebro como um computador que vai parar de trabalhar quando seus componentes falharem. Não há paraíso ou vida após a morte para computadores que quebram. Isso é um conto de fadas para pessoas que têm medo do escuro", opinou.

O tema já foi abordado em um de seus últimos livros, "The Grand Design" (2010), no qual ele desenvolve a ideia de que não há necessidade de um grande criador para explicar a existência do Universo.

As galáxias, estrelas e a vida humana teriam emergido a partir de "sementes" --pequenas flutuações quânticas--encontradas no Universo milhares de anos atrás.

Para ele, que rejeita pessoalmente as crenças religiosas, as pessoas em geral deveriam preencher seu potencial na Terra fazendo bom uso de suas vidas.

Segundo Hawking, diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica desde os 21 anos, ainda sem cura, a doença faz com que ele aproveite mais a vida.

"Tenho vivido com a perspectiva de uma morte precoce pelos últimos 49 anos. Não tenho medo da morte, mas não tenho pressa em morrer. Tenho muitas coisas que quero fazer primeiro", contou.

Fonte: Folha Online


Opinião da Filosofia Imortal:

É bem comum este tipo de afirmação vindo de cientistas ortodoxos, o que surpreende vindo de um cientista de teorias tão vanguardistas. O pior é ver alguém brilhante lançar duas bolas desastradamente fora em menos de um ano. Para quem possui maior sensibilidade e diante ainda de centenas de provas em mais de 100 anos, inclusive um sério documentário do Discovery Channel (Assista clicando AQUI), mostrando a reencarnação através de pessoas que lembravam de detalhes de sua vida anterior, que foram comprovados por pesquisadores que foram atrás das provas, espantando-se ao encontrá-las exatamente como afirmavam as pessoas, muitas vezes morando em outro país e que nunca tiveram contato com o lugar nesta vida. Isso não é mais questão de se existe ou não vida após a morte, mas sim de pesquisar mais sobre algo que já está mais do que provado.


2 comentários:

  1. A ciência pode aproximar ou afastar uma pessoa de Deus. Já eu afirmo (não acho apenas) que a Ciência deve aproximar o homem de Quem a criou. O cérebro é como um celular: o aparelho pode quebrar, mas as ondas continuam existindo. Nesta Hawking não foi infeliz apenas, ele foi cego. A doença não lhe ensinou nada. Leiam um texto interessantissimo sobre o NADA, que explica o quão absurda é esta colocação dele: http://estudosbiblicosmeyer.blogspot.com/2013/01/o-nada-e-o-todo.html
    E acrescento que:
    Só se pode falar sobre o que se conhece, sobre o que se experimentou. Se Hawking acha que Deus não existe, e que a vida após a morte também não, ele já deveria ter experimentado tal coisa. Ora, como ele ainda não morreu, não pode falar. É o caso do cachorro mordendo o rabo.

    ResponderExcluir
  2. Nao creio que exista reercanação .Se for assim existem Ets ,Jamais existiria um jugamento final,e no passado existira ma 7.000.000.000.000 de pessoas.

    ResponderExcluir

Deixe um comentário educado! Siga a política do 'se não pode dizer algo construtivo e legal, não diga nada.'