terça-feira, 5 de julho de 2011

OVNIs ao longo da História

Ilustração da edição de 1732 de "As
Viagens de Gulliver", de Jonathan Swift
Sou aficcionado pelo tema. No entanto, a quantidade de fraudes com que me deparei ao pesquisar o assunto me deixou mais cético. Se antes eu tinha certeza que ainda veria provas materiais confirmando o existência de vida inteligente em outros planetas, hoje considero essa hipótese altamente improvável. Verdadeiros ou não, a mitologia em torno dos Ovnis é tão rica que oferece insights interessantes sobre a natureza humana.

Por exemplo, o tipo mais comum de alienígena descrito por testemunhas é o homenzinho cinzento, de baixa estatura, sem pelos no corpo, braços e dedos longos e delgados, cabeça em forma um ovo invertido, desproporcionalmente grande, olhos enormes, nariz ausente, boca pequena. O fato de essa criatura aparecer em inúmeros relatos distintos comprovaria sua autenticidade? Duvido. Imaginação fértil e auto-sugestão nos fazem ver coisas irreais. Em um documentário no Discovery Channel, um especialista explica que provavelmente o alien cinza é uma projeção inconsciente de nós mesmos daqui a milhares de anos. Faz sentido: no futuro não executaremos trabalhos braçais, daí o afinamento dos membros. O olfato, outrora importante, gradualmente perdeu sua utilidade, por isso a ausência de nariz; da mesma forma encontraremos métodos mais eficientes e menos dispendiosos para nos alimentarmos, justificando a boca pequena e talvez desprovida de dentes. O crescente uso de nossas faculdades mentais, visuais e manuais resultaria no aumento da caixa craniana, do tamanho dos olhos e do comprimento dos dedos. Ele seria, portanto, o resultado de nossa evolução.

Mas é claro que há muitas perguntas sem respostas envolvendo possíveis visitas de entidades que não pertencem a este mundo. Há passagens curiosas na Bíblia, um dia vou falar delas. E o que dizer dos objetos voadores nas obras de arte a seguir? Escolhi algumas entre dezenas de exemplos que encontrei na web. Elas invalidam a tese que OVNIs são, na verdade, projetos secretos de aeronaves das grandes potências? 


Pinturas achadas em cavernas na Austrália, data ignorada. 
Os aborígenes chamam esses seres de "Wandjina". 
São tão medonhos que vão me causar pesadelos.

Figura inusitada do Deserto do Saara, datando de 8000 anos atrás.

Moisés recebe as Tábuas da Lei enquanto objetos caem do céu 
em obra encontrada na Bélgica. Data e artista desconhecidos.

Bizarra estatueta de 6000 anos, encontrada em Kiev, Ucrânia.

"A Anunciação com Santo Emidio" (1486), de Carlo Crivelli. 
O disco no céu emite um raio em direção a Maria. Abaixo 
um zoom focando o objeto.

"O Batismo da Igreja" (1710), de Aert de Gelder. Raios de luz sobre Jesus e João Batista. A grande quantidade de pinturas mostrando Jesus, Maria e outras figuras bíblicas no mesmo ambiente de possíveis OVNIs e extraterrestres é bem sugestiva. Dizem que Cristo era bom demais para ser humano.


"Madona com São Giovannino" (séc XV), de Domenico Ghirlandaio. 
Acima do ombro direito de Maria há um disco no céu. Abaixo 
pode-se ver também um homem olhando para ele.

Jesus e Maria aparecem sobre... uma nuvem? Com várias... nuvens atrás. "O Milagre da Neve", do italiano Masolino di Panicale (1383-1440). Ela pode ser vista em Florença.


Essas imagens de um manuscrito Século XII se referem a um avistamento de um OVNI em 776, durante o cerco ao Castelo de Sigibourg, França. Os saxões estavam prestes a invadi-lo quando o objeto surgiu no céu e eles julgaram ser alguma entidade defendendo os franceses. Fugiram apavorados e desistiram da conquista.

Como se vê, o enigma dos objetos voadores desconhecidos é tão antigo quanto nossa espécie e sempre ocorreu nos quatro cantos do mundo. Várias pinturas realmente estranhas ficaram de fora por questão de espaço. Entretanto, meu ceticismo permanece. Porque esses artistas resolveram colocar OVNIs em suas obras? Era um fenômeno comum? Será que eles tinham alguma necessidade mística de representá-los? Ou possuíam algum conhecimento ancestral que o pensamento racionalista apagou? Provavelmente nunca vamos saber.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário educado! Siga a política do 'se não pode dizer algo construtivo e legal, não diga nada.'