terça-feira, 31 de dezembro de 2013

"Gerador Captor de elétrons da Terra" - Mais uma invenção brasileira de energia livre!



Bem, nós sabemos que estamos atrasados, que muitos brasileiros que acompanham o movimento Free Energy já souberam disso antes por outros canais, mas eu não poderia terminar o ano de 2013 sem falar dos maranhenses, com apenas o ensino médio, Nilson Barbosa e Cleriston Leal, da empresa Evoluções Energia.

Nos sentimos obrigados a tal, afinal, eles chamaram muita atenção, talvez até mais do que o pessoal do Motor Gravitacional de Porto Alegre. Eles alegam um COP absurdamente alto, que se for real é impressionante mesmo.

Este é o principal vídeo de demonstração, para quem ainda não conhecia:


Talvez a demonstração tenha sido válida para quem estava presente, mas fica confusa no vídeo. Outra crítica é que as explicações que eles dão sobre o funcionamento do aparelho, tanto no vídeo quanto no site, dizem muito pouco ou absolutamente nada. Talvez isso não seja exatamente um acidente, e sim o velho paradigma do "não revelar o segredo" para proteger a propriedade intelectual... Quando vai aparecer um novo "Tesla" que esteja mais preocupado em fazer acontecer a Revolução Energética e menos com o próprio bolso? Quando o uso da ciência para o melhoramento da humanidade será mais importante do que a motivação capitalista do enriquecimento que traz consigo a propriedade intelectual e assim faz os "segredos" das invenções morrerem com seus inventores?

O fato é que eles conseguiram alguma repercussão tanto nacional como internacional, após esse vídeo lançado no dia 11/02/2013. No dia 15/02/2013 apresentaram ao jornal O Estado do Maranhão: 
Os autores confirmaram agendamento para a próxima semana de uma audiência com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, para apresentar o protótipo. Eles querem propor a venda da tecnologia ao Governo Federal por acreditar no potencial do estudo que produz energia limpa e atende à proposta do mundo atual de produção de energia ecologicamente correta. 
A dupla já teve um contato preliminar com o ministro em Imperatriz, durante um evento político, e adiantou o assunto. O ministro teria demonstrado interesse. 
Nilson Barbosa e Cleriston Leal dizem que têm um plano ‘B’. A primeira medida providencial tomada pelos pesquisadores após a conclusão do protótipo foi registrar a patente. 
Os pesquisadores abdicaram de horas de lazer com a família e até chegaram a deixar as empresas fechadas na reta final do protótipo. Chamou a atenção o fato de eles terem vendido bens pessoais para financiar o projeto, que recebeu um único apoio de uma empresa no dia do lançamento. 
Perguntados sobre o porquê de não buscarem recursos públicos para o projeto, Nilson Barbosa e Cleriston Leal não titubearam na resposta. “Não tinha como buscarmos recursos públicos se nosso projeto vai contrariar algumas leis da física. Não nos ajudariam e ainda nos chamariam de doidos”, disse Nilson Barbosa. Outra justificativa é que o projeto era sigiloso e quanto menos pessoas soubessem, melhor. Fonte: clippingma.webnode.com.br
 Veja abaixo o vídeo da Rede Globo, com a presença do ministro:

video

Mas que ingenuidade, Nilson e Cleriston! Se estudassem um pouco a história do movimento Free Energy teriam visto que ninguém que conseguiu esta façanha recebeu apoio nenhum, principalmente dos "poderes constituídos" (the powers that be), nem governos nem corporações! Ingenuidade, falta de conhecimento histórico e falta de vivência de vida! Não se revoluciona nada neste mundo anunciando aos prejudicados: "olha, sr governante, sr dono de agência reguladora, sr diretor de corporação, aqui está uma grande invenção que vai roubar todo o mercado dos senhores, o senhor me ajuda a fu&@# com todos vocês?"

Vejamos o resultado de tamanha boa vontade:
Atendendo ao convite do Ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, os pesquisadores viajaram para o Rio de Janeiro com o objetivo de se reunir com as principais autoridades do setor elétrico brasileiro. 
Nilson Barbosa e Cleriston Leal estiveram no Cepel no dia 13 de Junho de 2012, data da abertura da Rio+20, onde participaram de uma reunião de 4 horas de duração com o Ministro de Minas e Energia, Sr. Edison Lobão, e diretores da Eletrobras, e da Petrobras; os representantes do Cepel: o diretor geral, Albert Melo, o diretor de pesquisa, desenvolvimento e inovação, Roberto Caldas e os engenheiros Landulfo Mosqueira e Alexandre Neves. Para o dia seguinte da reunião, estava previsto o ensaio de medição de energia provinda da terra por um dos protótipos que capta elétrons através da malha de aterramento, denominado de CAPTOR DE ELÉTRONS DA TERRA, tudo aconteceria com a presença do Ministro de Minas e Energia e dos diretores da Eletrobrás e da Petrobras nos laboratórios do Cepel. Porém, o ensaio não ocorreu porque os diretores do Cepel fizeram exigências que inviabilizaram o acontecimento. O maior empecilho foi a exigência por parte do Cepel de que os pesquisadores assinassem um contrato totalmente desfavorável a estes, além do Sr. Albert Melo, afirmar categoricamente, que não daria de forma alguma qualquer tipo de documento atestando a captação de energia provinda da terra, mesmo que isso fosse constatado. [grifo nosso] 
Os pesquisadores acreditam que o objetivo do Ministro Edison Lobão, por estar muito entusiasmado com essa descoberta científica, seria de levar ao conhecimento da sociedade brasileira e mundial, através da Rio+20, esta nova fonte e forma de obtenção de energia elétrica, pois o ministro já havia feito esta afirmação pessoalmente aos pesquisadores quando tomou conhecimento do conteúdo do projeto. Além disso, chegou a afirmar que poderia até mesmo parar obras como a da Hidrelétrica de Belo Monte, entre outras, mas para que isso ocorresse dependeria de um ensaio no Cepel.
Ora, que ousadia hein, irem para o mercado assim, com um dispositivo capaz de alimentar uma ou duas casas... Não é à toa que a coisa não aconteceu tão fácil assim. Um dos erros básicos deles foi que o nas primeiras demonstrações o captor básico, no vídeo, operava em circuito aberto, pegando 21 W da rede... Mesmo eles propondo também um kit auto alimentado (bateria + inversor + captor + retificador), que necessita apenas de energia para uma primeira partida, podendo funcionar realimentando-se em circuito fechado (closed loop), era óbvio que a companhia elétrica iria processá-los, provavelmente sob a acusação que eles estavam roubando a energia da rede de alguma forma, e não que estavam gerando energia "do nada", afinal, isso é "impossível"! E também, é claro, não se pode vender nada sem certificação e licenciamento. Bem, parece que foi exatamente o que aconteceu, ou seja, foram processados pela CEMAR (companhia fornecedora de energia elétrica do Maranhão). Em setembro houve uma busca e apreensão dos equipamentos "captores", por ordem judicial, e, chegando lá, a polícia encontrou mais do que isso, encontrou dois medidores que os inventores alegaram terem sido emprestados. O resultado foi a prisão dos inventores...  (maiores detalhes aqui e aqui). 
Nota do Josué Moura: Até o momento dessas prisões, pelo menos em relação ao empresário "Nilson da Ampere", como é mais conhecido, não se tem nenhuma notícia de algum desvio de conduta ou algo que desabone sua vida como empresário em Imperatriz. A apreensão do equipamento que eu mesmo vi na Fecoimp e a prisão dos dois empresários, realmente tem cheiro de perseguição. Se realmente como diz Nilson, o invento - que segundo ele reduz o consumo de energia elétrica - está patenteado, a Cemar terá em breve que desembolsar uma boa grana para pagar uma indenização moral. Vamos aguardar o desenrolar dos fatos. Fonte: diretodaaldeia.blogspot.com.br
 "Cheiro de perseguição", Josué? Não, não é cheiro... É um mega futum dos brabos, tipo "rato morto dentro do armário", "mendigo na sarjeta", etc!

Não sei como foi o desenrolar do processo, mas os dois já estão soltos e a empresa parece continuar existindo, embora as vendas tenham sido suspensas até que o invento tenha sido validado pelos órgãos oficiais.

Vejam a repercussão internacional, nesse vídeo do canal de notícias Next News Network (tradução abaixo do vídeo):

video


Será que o segredo para a energia livre sem limites foi descoberto? Bem, de acordo com dois inventores brasileiros, foi sim.

Em 11 de fevereiro de 2013, dois inventores postaram um vídeo de si mesmos demonstrando um dispositivo alimentando de um banco de luzes. Poucos meses depois, no dia 07 de julho de 2013, os inventores Nilson Barbosa e Cleriston Leal apresentaram uma patente internacional do dispositivo afirmando que irá produzir energia livre. Agora, o par de inventores afirmou que venderão o pequeno dispositivo ao povo de Imperatriz, Brasil. É chamado Gerador Captor de Elétrons da Terra, e de acordo com a patente funciona assim: "Energia da Terra é a energia eletromagnética que pode ser instantaneamente obtida para realizar o trabalho por meio de um campo eletromagnético ligado à terra".

Depois de um primeiro "power up" de "qualquer" fonte elétrica, um sensor começa a girar criando o que é conhecido como "energia sobre-unidade". Dispositivos sobre-unidade têm sido criticados porque alguns afirmam que viola as leis da física. No entanto, isso claramente não parou de Barbosa e Leal. Os dois criaram vários tamanhos do gerador. O menor é capaz de gerar 12,1 kw de potência , com uma carga de 6.000 watts, usando apenas 21 watts de energia de entrada [Estes números estão errados].

A equipe acredita que pode alimentar uma casa de família ou um automóvel. 

Deve-se notar, porém, que sempre que surge uma tecnologia como esta, geralmente desaparece tão rápido quanto surge. Tomemos o caso de Stanley Meyers, ele patenteou uma vela de ignição que iria dividir o hidrogênio da água para servir de combustível para um carro. Antes de morrer subitamente em um estacionamento do lado de fora de um restaurante perto de sua casa, suas últimas palavras foram: "Eu fui envenenado".

Até mesmo o famoso Nikola Tesla estava trabalhando em uma maneira de transmitir eletricidade sem fios, no entanto, quando Westinghouse [está errado, foi J. P. Morgan] descobriu que não podia conectar um medidor elétrico, o projeto foi destruído [grifo nosso].

Isto pode não ser o caso de Barbosa e Leal. Os inventores estão trabalhando para licenciar a produção para várias empresas de manufatura que começarão as vendas online em janeiro de 2014, com preços a partir de 5500 dólares . [O plano de negócios vai ser um pouco diferente do que isso. Esse montante em dólares não reflete o tamanho do dispositivo a que se refere.]

Aparentemente os dois não aguentaram o peso da repercussão. No site Peswiki, de Sterling Allan, eles pediram, em novembro, para modificar o texto:

Falei com Nilson .... Ele pediu para corrigir algumas das entradas no diretório PESWiki Evoluções. Agora eu acabo de receber e-mail abaixo de Evoluções Energia nos pedindo para corrigir as duas frases seguintes, com a redação dada por eles:

Substitua: "Eles não estão prontos para cogitar fornecer licenciamento" por: "A empresa está pronta para licenciar as patentes." E também: "O Tribunal também ordenou que eles se abstenham de vender ou instalar o equipamento até segunda ordem." por: "As vendas são suspensas até que obtenham opinião de especialistas, que já está sendo providenciada. " - Fonte: peswiki.com

Em outro jornal estrangeiro, lê-se uma nota em destaque:

NOTA: Esta empresa está em uma fase vulnerável agora. Eles não estão equipados para lidar com a enxurrada de perguntas que vêm recebendo por causa da nossa cobertura. (...) Eles perguntaram se eu poderia remover esta página, mas em vez disso, eu estou postando esse aviso. Deem-lhes algum espaço para respirar. Eles não são bilíngues. Por enquanto, eles têm que ter poder mental o suficiente para lidar com as entradas vindas de seus conterrâneos brasileiros. Fonte: libertariannews.org

E assim caminha a humanidade, como já diria Lulu Santos, com passos de formiga e sem vontade. Enquanto podíamos ter energia livre há 120 anos, é impressionante como, em pleno século XXI, é essa a repercussão e recepção que recebe essa fantástica e maravilhosa oportunidade que a natureza nos dá. Isso sem falar na perseguição que sofreram os inventores FE ao longo do século XX, desde Thomas Henry Moray, que divulgou sua invenção na década de 30, passando pelo assassinato de Stanley Meyer, a ridicularização e o ostracismo de Pons & Fleischmann nos anos 80. É por isso que, acredito, a receita da revolução neste mundo pós-moderno está em lançar o conhecimento na rede, fazer ele se tornar viral e esperar pra ver. Pelo menos assim o "segredo" não morre com o inventor.

Bem, aqui nestas terras tupiniquins, temos o pessoal do Keppe, que embora não deixe muito explícito estão mergulhados na pesquisa FE, temos a geringonça gigantesca da RAR no sul, que infelizmente não sabem a diferença entre moto-perpétuo e FE, temos Boris Petrovic, o parente distante de Tesla do Instituto Nikola Tesla em Brasília, que quer realizar o sonho de seu ancestral replicando o Magnifying Transmitter e transmitir eletricidade sem fio a nível global, e agora temos os captores de elétrons da Evoluções Energia. Não é nada comparado com o que está acontecendo no resto do mundo, mas também não é nada mal para um país "subdesenvolvido"...

Será o Brasil o berço da Revolução Energética? 

Bem, pelo menos ao que parece, isso não está na agenda dos políticos. O mundo caminha para a substituição dos combustíveis fósseis pelas energias renováveis convencionais (solar, eólica, etc), principalmente a Europa, enquanto o Brasil ruma na contramão, querendo mais é sugar até a última gota de óleo, cujo fim parece agora ainda mais longe com o pré-sal, seja para consumo doméstico ou para vender para as grandes " e demoníacas" multinacionais.

O governo investiu maciçamente, nos últimos anos, em uma das formas mais estúpidas e poluentes de gerar energia elétrica, as termoelétricas. Até mesmo a exploração do xisto betuminoso, extremamente controversa, porque pode contaminar os lençóis freáticos, está na agenda do governo. É por essas e outras, que eu não espero que essa revolução aconteça assim por influência na política.

Os políticos estão interessados em defender o status quo, o grande capital, e, no país da corrupção, tem muita gente levando um "por fora" nessa mina de "ouro negro". A Revolução Energética vai partir de baixo, na base do Open Source e do faça você mesmo (DIY - Do It Yourself), pelo menos até que haja uma massa crítica de pessoas difundindo para o público leigo que o poder está, sim, em suas mãos...

Fonte: Energia Ponto Zero


14 comentários:

  1. Caros colegas...vão com seus inventos para os EUA pois aqui no Brasil, o país dos corruptos, não conseguirão nada!

    ResponderExcluir
  2. Eles estão sendo perseguidos pela companhia energetica do Maranhão CEMAR.

    ResponderExcluir
  3. Também pesquiso sobre esses assuntos. Busco mais gente para ajudar na luta contra o monopólio do governo no setor energético. Existe "energia livre" e é o que devemos tornar realidade para todos e não para as "elites" que já fazem uso dela há décadas... thomas.soares@softwarelivre.org

    ResponderExcluir
  4. Amigos do Filosofia Imortal... Existia uma lógica na formatação original do texto, assim não ficou claro aonde é citação de outras fontes (notícias nacionais e internacionais) e aonde são minhas próprias palavras. De qualquer forma, fico agradecido pela divulgação e por remeterem ao original no meu blog. só peço encarecidamente que tenham mais critério e um pouco mais de trabalho na hora do "copy-paste" da próxima vez. Forte Abraço e firme na causa! Energia Livre para todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela colaboração e atenção aos detalhes. As fontes foram restauradas como no texto original.
      Mais uma vez, agradecemos seu comentário.

      Excluir
  5. nos estados unidos eles já estariam mortos

    ResponderExcluir
  6. Fico muito orgulhoso, emocionado, como profissional da area, pois eventos como este, acontecem algumas vezes somente na historia da humanidade. Espero que eles sejam firmes e nao se vendam, ganhem seu dinheiro honestamente e, se possivel, diminuam consideravelmente o lucro exorbitante da nossa industria de energia eletrica. Espero ainda, poder instalar este sistema em muitas residencias e industrias.

    ResponderExcluir
  7. Creio q se venderem para o Governo, o invento será destruído, e os inventores desaparecerão! Não há interesse por parte dos Governos!! Eles, e as megamultinacioanis, ganham muito dinheiro com as formas tradicionais de geração de energia.

    ResponderExcluir
  8. O tempo passa e nada de novo. Kd a invenção? Entendo muito pouco de eletricidade mas vejo a possibilidade de esta invenção não passar de um meio de burlar os medidores, uma vez que os wattômetros são ligados no fio fase e com o aparelho ele poderia desviar o circuito pelo terra. Desta forma a fonte de energia continua sendo a usina e a maior carga viria pelo terra.

    ResponderExcluir
  9. Cara melhor ter divulgado na web do q tenta vender vão mata esses cara enos relés mortais continuaremos paganto energia!

    ResponderExcluir
  10. Nada de captor.
    Pelo que assisti no vídeo,oque entendo é que eles distorceram a senóide e os alicates amperímetro usados medem onda senoidal.

    ResponderExcluir
  11. Nada de captor.
    Pelo que assisti no vídeo,oque entendo é que eles distorceram a senóide e os alicates amperímetro usados medem onda senoidal.

    ResponderExcluir
  12. Se distorceram a senoide, o amperimetro poderia ser burlado, mas o que me diz do contador que ficaria no inicio do processo, la usa um TC, e se for distorção seria local, não chegaria ao contador. Vamos ter mais fé e colocar o que não agrega de lado, se fosse um indiano eo europeu todos acreditariam, mas brasileiro não tem vez nem na cabeça dos compatriotas.

    ResponderExcluir

Deixe um comentário educado! Siga a política do 'se não pode dizer algo construtivo e legal, não diga nada.'