quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Martinho Lutero, o Louco

Martinho Lutero (1483-1546) foi o fundador da Reforma Protestante e da Igreja Luterana. Por seu desafio da supremacia católica, Lutero é muitas vezes tido como um defensor da liberdade de expressão e da tolerância religiosa. Nada poderia estar mais errado.

O que Martinho Lutero defendeu foi a substituição da perseguição religiosa católica pela opressão e perseguição religiosa protestante.   Ele exigiu rigorosa obediência às autoridades temporais, e pregou que os hereges, também conhecidos como cristãos que tinham crenças diferentes da sua, fossem executados.  Lutero foi também um grande disseminador do ódio aos Judeus.

__________________________________________________________

Sobre a Razão

“ Quem quiser ser um cristão deve fazer a intenção de silenciar a voz da razão.“(1)

“Quem quiser ser um cristão, deve arrancar os olhos de sua razão.”(2)

“Cristo quer matar a razão e subjugar a arrogância dos judeus.”(3)

__________________________________________________________

A Maldade

“A lei é a Palavra com a qual Deus nos ensina e nos diz o que devemos fazer e não fazer, como nos dez mandamentos…. A Lei de Deus nos convence,  pela nossa experiência,  que nós somos naturalmente maus, desobedientes, amantes do pecado, e inimigos dos mandamentos de Deus. ” Fonte: The Law and the Gospel: Martin Luther and Others

__________________________________________________________


Intolerância aos outros cristãos

” Estes artigos sediciosos da doutrina devem ser punidos pela espada não precisando adicional prova. Quanto ao resto, os anabatistas manter princípios relativos ao batismo de crianças, o pecado original, e inspiração, que não têm ligação com a Palavra de Deus, e são, de facto oposição a Ele…. autoridades seculares também são obrigadas a reprimir e a punir, declaradamente, falsas doutrinas … Além disso os anabatistas separaram-se das igrejas … e eles criaram um ministério e congregação próprias, o que também é contrário à ordem de Deus. Por tudo isto, torna-se claro que as autoridades seculares estão atentas … para infligir castigos corporais sobre os infratores … Também quando é um caso de apenas defender algum princípio espiritual, como o batismo infantil, o pecado original, e a separação desnecessária, então … nós concluimos … os sectários teimosos devem ser condenados à morte. ” Fonte: Dave Armstrong.   “ Panfleto de 1536″ em Martinho Lutero e a Inquisição protestante (Janssen, X, 222-223; panfleto de 1536)

“ Se eu tivesse todos os frades franciscanos, em uma casa, eu iria atear fogo a eles …. Para o fogo com eles! ” Fonte: Dave Armstrong. Martinho Lutero e a Inquisição protestante (Grisar, VI, 247; Table Talk [editado pelo Mathesius], 180; verão 1540)

“É um dever suprimir o Papa pela força.” Fonte: Dave Armstrong, Martinho Lutero e a Inquisição protestante (Grisar, VI, 245, PT, IV, 298)

“Há outros que ensinam em oposição a algum reconhecido artigo de fé, o  que é manifestamente fundamentado nas Escrituras e acreditado por bons cristãos em todo o mundo, como aqueles ensinados às crianças no Credo …. hereges deste tipo não devem ser tolerados, mas punidos como blasfemos abertos ….Se ele não ficar quieto , então deixe o canalha ao cuidado das autoridades civis, nas mãos do seu legítimo dono, ou seja, Mestre Hans [o carrasco].” Fonte: Martin Lutero, Comentário ao Salmo 82, 1530  (Janssen, X, 222; EA, Bd 39, 250-258;. Comentário sobre o Salmo 82 , 1530, cf Durant, 423, Grisar, VI, 26-27).

“Heréticos … permanecem obstinados em sua própria vaidade. Eles não permitem que ninguém encontre falhas neles e não toleram oposição. Este é um pecado contra o Espírito Santo, para o qual não existe perdão.” Fonte: Dave Armstrong , Martinho Lutero e a Inquisição protestante (Grisar, VI, 282, WA, vol 19, 609 e ss.).

“Eu estou no encalço dos Sacramentários e dos anabatistas; … vou desafiá-los a lutar, e eu vou colocá-los todos eles sob os pés.” Fonte: Dave Armstrong, Martinho Lutero e a Inquisição protestante (Daniel-Rops, 86)


Adoração forçada

“ Os homens desprezam o Evangelho e insistem em ser compelidos pela lei e pela espada. ” Fonte: Dave Armstrong , Martin Luther e da Inquisição protestante. (Grisar, VI, 262; EA, III, 39; carta a Georg Spalatin)

“ Mesmo que eles não acreditem, eles devem, no entanto, … ser conduzidos para a pregação, para poderem, pelo menos, aprender o que é obediência. ” Fonte: Dave Armstrong, Martinho Lutero e da Inquisição protestante. (Grisar, VI, 262, em 1529)

“ É nosso costume amedrontar aqueles que … deixam de participar da pregação;. e ameaçá-los com o banimento e a lei … No caso de insistirem, de excomungar-los … como se eles fossem pagãos “. Fonte: Dave Armstrong, Martinho Lutero e da Inquisição protestante. (Grisar, VI, 263, EN, IX, 365; carta a Leonard Beyer, 1533)

“Os poderes espirituais … e também aqueles temporais, terão que sucumbir ao Evangelho, seja por amor ou pela força, como está claramente provado por toda a história bíblica.” Fonte: Martin Luther, Letter to Frederick, eleitor da Saxônia, 1522. (Janssen, III, 267, carta a Frederico, eleitor da Saxônia, 1522)


O Evangelho é uma espada! 

“Se você entende o Evangelho, com razão, peço-lhe para não acreditar que ele possa ser levado a efeito sem tumulto, escândalo, sedição …. A palavra de Deus é uma espada, é uma guerra, é ruína, é escândalo .” Fonte: Carta de Martin Luther a Georg Spalatin, fevereiro 1520

The Word of God can never be advanced without whirlwind, tumult, and danger … One must either despair of peace and tranquility or else deny the Word. War is of the Lord who did not come to send peace. Take care not to hope that the cause of Christ can be advanced in the world peacefully and sweetly, since you see the battle has been waged with his own blood and that of the martyrs.”

“A Palavra de Deus nunca pode ser promovida sem vendaval, tumulto e perigo … É preciso tanto desencorajar a paz como a tranquilidade, ou então negar a Palavra. A guerra é do Senhor, que não veio trazer a paz. Tome cuidado para não esperar que a causa de Cristo vai avançar no mundo em paz e docemente, desde que se pode ver que a batalha tem sido travada com seu próprio sangue e também dos mártires ”. Fonte: Carta de Martin Luther a Georg Spalatin, fevereiro 1520

“Se nós punimos ladrões com o jugo, salteadores com a espada, os hereges com o fogo, por que não, assaltar esses monstros de perdição, esses cardeais, esses papas, e toda a multidão da Sodoma romana, que corrompe a juventude e Igreja de Deus? Por que nós não os assaltamos com armas e lavamos as mãos em seu sangue?“ Fonte: Martin Luther, Sobre o Papa como um Mestre infalível , 25 de junho de 1520

“Todos os conflitos e as guerras do Antigo Testamento prefigura a pregação do Evangelho, que deve produzir contenda, discórdia, conflitos, perturbações. Tal era a condição da cristandade quando estava no seu melhor, nos tempos dos apóstolos e mártires. Essa é uma dissensão abençoada, perturbação e comoção que é produzida pela Palavra de Deus; é o começo da verdadeira fé e da guerra contra a falsa fé; Está vindo novamente os dias de sofrimento e perseguição e a verdadeira condição da cristandade. “ Fonte:  Martin Luther, Reply to the Answer of the Leipzig Goat, January 1521

“Eu me pergunto se os príncipes, nobres e os leigos não deveriam ferir a cabeça do papa, dos bispos, dos padres e dos monges, e expulsá-los da terra?”  Fonte: Martin Luther, Assertion of All the Articles Condemned by the Last Bull of Antichrist, March 1521


Insurreição Camponesa

Já em 1522, enquanto Lutero estava em Wartburg, seu seguidor Thomas Münzer, comandou massas camponesas contra a nobreza imperial, pois propunha uma sociedade sem diferenças entre ricos e pobres e sem propriedade privada, Lutero por sua vez defendia que a existência de “senhores e servos” era vontade divina, motivo pelo qual eles romperam. Lutero, desde cedo, argumentou com a nobreza e os próprios camponeses sobre uma possível revolta e também sobre Müntzer, classificando-o como um dos “profetas do assassínio” e colocando-o como um dos mentores do movimento camponês. Lutero escreveu a “Terrível História e Juízo de Deus sobre Tomas Müntzer”, inaugurando essa linha de pensamento.

Na iminência da revolta (1524), Lutero escreveu a “Carta aos Príncipes da Saxônia sobre o Espírito Revoltoso”, mostrando a tirania dos nobres que oprimiam o povo e a loucura dos camponeses em reagir através da força e a confiar em Müntzer como pregador.

Ainda em 1524, Müntzer mudou-se para a cidade imperial de Mühlhausen, oferecendo-se como pregador. Lutero escreveu uma “Carta Aberta aos Burgomestres, Conselho e toda a Comunidade da Cidade de Mühlhausen”, com o propósito de alertar sobre as intenções de Müntzer. O principal escrito dos camponeses eram os “Doze Artigos”, onde suas reivindicações eram expostas. Neles havia artigos de fundo teológico (direito de ouvir o Evangelho através de pregadores chamados por eles próprios) e artigos que tratavam dos maus tratos (exploração nos impostos, etc.) impostos a eles pelos nobres.

Rebeldes camponeses do século 6 Hans Lützelburger (+1526) nach Meister NH (nb NOT Hans Holbein d. J.)


Justificação da Insurreição Camponesa

“Agora parece provável que haja perigo de uma insurreição, e que os padres, monges, bispos e todo o patrimônio espiritual podem ser assassinados ou expulsos para o exílio, a menos que eles, seriamente e verdadeiramente, reformem-se. O homem comum não é mais … nem capaz e nem está disposto a suportar por mais tempo, e de fato ele se tem um bom motivo para ir sobre eles com manguais (flails) e porretes, como os camponeses estão ameaçando fazer …

O Mangual ou Flail em inglês era muito usado, como instrumento agrícola ou como arma. Acima, Martinho Lutero sugere que o povo deve usar manguais e porretes para ferir ou matar o membros do clero católico.

Fotos de manguás

De acordo com as Escrituras que o medo e a ansiedade venha sobre os inimigos de Deus como o início de sua destruição. Portanto, é certo, e me agrada muito, que esta punição está começando a ser sentida pelos romanistas que perseguem e condenam a verdade divina. Eles devem logo sofrer mais intensamente … Já um descontentamento indescritível e raiva sem limites está vindo pra cima deles. O céu é de ferro, a terra é de bronze. Nenhuma oração pode salvá-los agora. Wrath, como diz Paulo sobre os judeus, veio sobre eles até ao fim. os propósitos de Deus exigem muito mais do que uma insurreição. Eles estão longe do alcance de ajuda … As Escrituras predisseram que o papa e seus seguidores teriam um final muito pior do que a morte do corpo e insurreição … “ Fonte: Martin Luther, An Earnest Exhortation for all Christians, Warning Them Against Insurrection and Rebellion, December 1521     


Para os príncipes e senhores

Nós não temos ninguém na terra para agradecer por essa rebelião, a não ser a vocês príncipes e senhores, e especialmente vocês bispos cegos, e padres e monges loucos … já que vocês são a causa dessa ira de Deus, que, sem dúvida, virá sobre vocês, se vocês não consertarem seus caminhos a tempo. … Os camponeses estão reunindo, e isso deve resultar na ruína, destruição e desolação da Alemanha pelo cruel assassinato e derramamento de sangue, a menos que Deus não deve intervenha por nosso arrependimento para impedi-los.

Para que vocês saibam, caros senhores, que Deus está fazendo isso porque esta fúria com vocês não vai e não pode e não deve ser suportada por muito tempo. Vocês devem se tornar diferentes homens aceitar a Palavra de Deus. Se vocês não fizerem isso de forma amigável e por vontade própria, então vocês vão ser obrigados a isso pela força e destruição. Se estes camponeses não fizerem isto por vocês, outros farão. … Não são os camponeses, caros senhores, que estão resistindo vocês, mas o próprio Deus. … Para fazer o seu pecado ainda maior, e garantir a sua destruição impiedosa, alguns de vocês estão começando a culpar o Evangelho e a dizer que é o fruto do meu ensino. … Vocês não querem saber o que eu ensinei, e que é o Evangelho, e agora há um na porta que em breve vai ensinar vocês, a menos que emendem os vossos caminhos. Fonte: Martin Luther, An Admonition to Peace: A Reply to the Twelve Articles of the Peasants in Swabia, May 1525


Condenando a insurreição camponesa

” Os pretextos que eles fizeram em seus doze artigos, sob o nome do Evangelho, não passavam de mentiras. É a obra do diabo que tomou conta deles …. Eles têm merecido em abundância, a morte no corpo e na alma. Em primeiro lugar eles juraram ser verdadeiros e fieis, submissos e obedientes , aos seus governantes , como manda o Cristo …. Porque eles estão quebrando essa obediência , e estão se colocando contra os poderes superiores, voluntariamente e com violência , eles perderam corpo e alma, como infiéis, perjúrio , mentira, como os patifes e canalhas desobedientes estão acostumados a fazer …

Eles estão começando uma rebelião , e violentamente roubando e saqueando mosteiros e castelos que não são deles , por causa disso eles têm merecido uma segunda morte em corpo e alma , mesmo que apenas como salteadores e assassinos … se um homem é abertamente um rebelde todo homem é seu juiz e carrasco , assim como quando um incêndio começa , o primeiro a extinguir o fogo é o melhor homem. Porque a rebelião não é crime simples, mas é como um grande incêndio , que ataca e devasta a terra inteira . Assim, a rebelião traz consigo uma terra cheia de assassinatos e derramamento de sangue, faz viúvas e órfãos , e vira tudo de cabeça para baixo, como um grande desastre. Portanto, deixe todos que puderem, ferir, matar a facada, secreta ou abertamente, lembrando que nada pode ser mais venenoso, prejudicial, ou diabólico do que um rebelde. É como quando se deve matar um cachorro louco, se você não atacá-lo, ele vai atacar você, e a terra inteira com você.

… Eles encobrem esse pecado terrível e horrível com o Evangelho, chamam a si próprios de “irmãos cristãos”. … Assim, eles se tornam o maior de todos os blasfemadores de Deus e caluniadores de Seu santo Nome, servindo ao diabo, sob a aparência externa do Evangelho, ganhando assim a morte de corpo e alma dez vezes mais. … Belos cristãos são estes! Eu acho que não ficou nenhum diabo no inferno, eles foram todos para os camponeses. Seu delírio foi além de qualquer medida.

Eu não vou impedir a um governante, mesmo que ele não tolere o Evangelho, de ferir e punir esses camponeses sem oferecer para submeter o caso a julgamento. … Se alguém acha que isso muito difícil, deixe-o saber que a rebelião é intolerável e que esta destruição do mundo é esperada a cada hora. “ Fonte: Martin Luther, Against the Robbing and Murdering Hordes of Peasants, May 1525

“Se Deus permite aos camponeses extirpar os príncipes para satisfazer a sua ira, ele vai dar a eles o fogo do inferno como recompensa. “Fonte : Letter of Martin Luther to John Ruhel, 4 May 1525

“Minha opinião é que é melhor que todos os camponeses serem mortos do que morrer os príncipes e magistrados, porque os camponeses tomaram a espada sem autoridade divina. A única conseqüência possível da sua maldade satânica seria a devastação diabólica do reino de Deus. Mesmo que os príncipes abusem do seu poder, eles têm isto de Deus, e sob seu domínio o reino de Deus, pelo menos, tem a chance de existir. Portanto nenhuma piedade, nem tolerância deve ser mostrada aos camponeses, mas a fúria e indignação de Deus devem vir pra cima daqueles homens que não atenderam nem aviso de rendimento quando termos justos foram oferecidos a eles, mas continuaram com fúria satânica para confundir tudo …. para justificar piedade, ou favorecê-los é negar, blasfemar, e tentar puxar Deus do céu.“ Fonte: Letter of Martin Luther to Nicholas Amsdorf, 25 May 1525

“Todas as minhas palavras eram contra os obstinados, os endurecidos, camponeses cegos, que não vêem e nem ouvem, como qualquer um pode ver o que fazem, e ainda você diz que eu defendo o massacre dos camponeses pobres capturados sem piedade …. Para com os obstinados, endurecidos, camponeses cegos, que ninguém tenha piedade .

Eles dizem … que os senhores estão fazendo mau uso da sua espada para os matar muito cruelmente . Eu respondo: O que tem isso a ver com o meu livro? Por que colocar a culpa dos outros sobre mim? Se eles estão fazendo mau uso do seu poder, eles não aprenderam isso de mim, e eles terão sua recompensa …

Veja , então, se eu não tinha razão quando eu disse, no meu pequeno livro, que devemos matar os rebeldes, sem qualquer misericórdia. Eu não ensinei, no entanto, que a misericórdia não deve ser mostrada para os cativos e aqueles que se renderam”. Fonte:  Martin Luther, An Open Letter Concerning the Hard Book Against the Peasants, July 1525     


Lutero e o ódio aos judeus

“Eu cheguei à conclusão de que os judeus vão sempre xingar e blasfemar contra Deus e seu Rei Cristo, como todos os profetas previram . Aquele que não lê nem entende isso, é porque ainda não conhece teologia, na minha opinião. Então eu presumo que os homens da Colônia não podem compreender a Escritura, porque é necessário que essas coisas aconteçam para cumprir a profecia. Se eles estão tentando impedir as blasfêmias dos judeus, eles estão tentando provar que a bíblia e Deus são mentirosos.” Fonte: Letter of Martin Luther to George Spalatin, January or February 1514

“Eu coloquei na minha cabeça que eu não vou mais escrever nem sobre os judeus ou contra eles. Mas desde que eu soube que essas pessoas miseráveis ​​e malditas não deixam de atrair para si mesmos nós, isto é , os cristãos , eu publiquei este pequeno livro, só assim eu estarei entre aqueles que se opuseram a tais atividades venenosas dos judeus os quais alertaram os cristãos a estar em guarda contra eles. Eu não poderia ter acreditado que um cristão podesse ser enganado pelos judeus correndo o risco de ser exilado trazendo a miséria sobre em si mesmo”. Fonte:   Martin Luther, On the Jews and Their Lies (1543)

“Nosso Senhor também os chamou de “raça de víboras”, além disso, em João 8:39-44, ele afirma:” Se fôsseis filhos de Abraão faríeis o que Abraão fez …. Vós tendes por pai o Diabo. Era intolerável para eles ouvir que não eram filhos de Abraão, mas do Diabo, nem podem suportar ouvir isso hoje.” Fonte: Martin Luther, On the Jews and Their Lies (1543)

“Fiquem em guarda contra os judeus, sabendo que onde quer que eles tenham suas sinagogas, nada é encontrado a não ser um antro de demônios na qual contém auto-glória pura e, presunção, mentiras, blasfêmia e a difamação de Deus e dos homens são praticadas mais maliciosamente e antenham seus olhos sobre eles.“ Fonte: Martin Luther, On the Jews and Their Lies (1543)

“Eles não são nada, mas ladrões e salteadores que, diariamente, não comem um bocado e não usam roupas que eles não tenham roubado, e roubado de nós, por meio de sua usura amaldiçoada. Assim, eles vivem no dia a dia, juntamente com a esposa e filho, praticando furtos e roubos, como arqui-ladrões e assaltantes, na mais impenitente segurança.” Fonte: Martin Luther, On the Jews and Their Lies (1543)

“… Ejete-os para sempre deste país. Pois, como ouvimos, a ira de Deus para com eles é tão intensa que a suave misericórdia só tende a torná-los cada vez pior, enquanto a afiada misericórdia poderia reformá-los, mas pouco. Assim, em qualquer caso, fora com eles! “ Fonte: Martin Luther, On the Jews and Their Lies (1543) 

“O que nós, cristãos, devemos fazer com este povo rejeitado e condenado, os judeus? Uma vez que eles vivem entre nós, não devemos tolerar sua conduta, agora que estamos conscientes que estão mentindo, injuriando e blasfemando. Se o fizermos, tornamo-nos participantes da suas mentiras , maldições e blasfêmias. Assim, não podemos apagar o fogo que nunca se apaga da ira divina, da qual os profetas falam , nem podemos converter os judeus. Com oração e o temor de Deus devemos praticar a misericórdia afiada para ver se podemos salvar pelo menos alguns das chamas incandescentes.  Não ousamos nos vingar.  vingança é mil vezes pior do que poderíamos desejar-lhes já que eles a tem pela garganta. Eu devo dar a vocês o meu conselho sincero. . .

Primeiro incendiar suas sinagogas e escolas e enterrar cobrindo com terra o que não for queimado, de modo que nenhum homem jamais voltará a ver uma pedra ou cinza deles. Isso é para ser feito em honra de nosso Senhor e da Cristandade, assim Deus poderá ver que somos cristãos, e não toleramos ou conscientemente toleramos tal mentira pública, xingando, e blasfemando contra o seu Filho e os seus cristãos…

Em segundo lugar, eu recomendo que suas casas também serão demolidas e destruídas. Pois eles buscam nelas os mesmos objetivos que em suas sinagogas . Em vez disso, poderiam ser apresentado a eles um teto ou um celeiro, como os ciganos. Isso vai levar para casa para que eles não são mestres em nosso país, como eles possuem , mas que eles estão vivendo no exílio e em cativeiro , uma vez que incessantemente chorar e lamentar sobre nós diante de Deus.

“(…) Finalmente, no meu tempo, foram expulsos de Ratisbona, Magdeburgo e de muitos outros lugares… Um judeu, um coração judaico, são tão duros como a madeira, a pedra, o ferro, como o próprio diabo. Em suma, são filhos do demônio, condenados às chamas do Inferno. Os judeus são pequenos demônios destinados ao inferno.” (’Luther’s Works,’ Pelikan, Vol. XX, pp. 2230).

“Queime suas sinagogas. Negue a eles o que disse anteriormente. Force-os a trabalhar e trate-os com toda sorte de severidade … são inúteis, devemos tratá-los como cachorros loucos, para não sermos parceiros em suas blasfêmias e vícios, e para que não recebamos a ira de Deus sobre nós. Eu estou fazendo a minha parte.” (’About the Jews and Their Lies,’ citado em O’Hare, in ‘The Facts About Luther, TAN Books, 1987, p. 290).

“Resumindo, caros príncipes e nobres que têm judeus em seus domínios, se este meu conselho não vos serve, encontrai solução melhor, para que vós e nós possamos nos ver livres dessa insuportável carga infernal – os judeus.”Perseguição aos Judeus (Martinho Lutero: Concerning the Jews and their lies [A respeito dos judeus e suas mentiras], reimpresso em Talmage, Disputation and Dialogue, pp. 34-36.)

“A Alemanha deve ficar livre de judeus, aos quais após serem expulsos, devem ser despojados de todo dinheiro e jóias, prata e ouro, e que fossem incendiadas suas sinagogas e escolas, suas casas derrubadas e destruídas (…), postos sob um telheiro ou estábulo como os ciganos (…), na miséria e no cativeiro assim que estes vermes venenosos se lamentassem de nós e se queixassem incessantemente a Deus”. – “Sobre os judeus e suas mentiras” de Martinho Lutero.

Os principais trabalhos de Lutero sobre os judeus são Von den Juden und Ihren lügen (“Sobre os judeus e suas mentiras”), e Vom Schem Hamphoras und vom Geschlecht Christi(“Em Nome da Santa linhagem de Cristo”) ambas escritas em 1543, três anos antes de sua morte.
Nesses trabalhos Lutero afirmou que os judeus já não eram o povo eleito, mas o “povo do diabo”. A sinagoga era como “uma prostituta incorrigível e uma devassa maléfica” e os judeus estavam “cheios das fezes do demónios,… nas quais se rebolam como porcos” Lutero aconselhou as pessoas a incendiarem as sinagogas, destruindo os livros judaicos, proibir os rabinos de pregar, e apreender os bens e dinheiro dos Judeus e também expulsá-los ou fazê-los trabalhar forçosamente. Lutero também parecia aconselhar seus assassinatos, escrevendo “É nossa a culpa em não matar eles.”

A campanha contra os judeus de Lutero foi bem sucedida na Saxónia, Brandenburg, e Silésia. Josel de Rosheim (1480-1554), que tentou ajudar os judeus na Saxónia, escreveu em seu livro de memórias a situação de intolerância foi causada por “(…) esse sacerdote cujo nome é Martinho Lutero – (…) seu corpo e alma vinculada até no inferno!! – que escreveu e publicou muitos livros heréticos no qual disse que quem ajudasse judeus seriam condenados à perdição.” Josel teria pedido a cidade de Estrasburgo para proibir a venda das obras antijudaicas de Lutero; porém seu pedido foi-lhe negado quando um pastor luterano de Hochfelden argumentou em um sermão que os seus paroquianos deviam assassinar judeus.

O anti-semitismo de Lutero persistiu após a sua morte, ao longo de todo o ano 1580, motins expulsaram judeus de vários estados luteranos alemães. A opinião predominante entre os historiadores é que a sua retórica antijudaica contribuiu significativamente para o desenvolvimento do anti-semitismo na Alemanha, e na década de 1930 e 1940 auxiliou na fundamentação do ideal do nazismo de ataques a judeus.
O próprio Adolf Hitler em sua autobiografia Mein Kampf considerou Lutero uma das três maiores figuras da Alemanha, juntamente com Frederico, o Grande, e Richard Wagner. Em 5 de outubro de 1933, o Pastor Wilhelm Rehm de Reutlingen declarou publicamente que “Hitler não teria sido possível, sem Martinho Lutero”. Em novembro de 1933, uma manifestação protestante que reuniu um recorde de 20.000 pessoas, aprovou três resoluções:
Adolf Hitler é a conclusão da Reforma; Judeus Batizados devem ser retirados da Igreja; O Antigo Testamento deve ser excluído da Sagrada Escritura.

Diversos historiadores (entre os quais se destacam William L. Shirer e Michael H. Hart) sugerem que a influência de Lutero auxiliou a aceitação do nazismo na Alemanha pelos protestantes no século XX. Shirer fez a seguinte observação em Ascensão e queda do Terceiro Reich:

“É difícil compreender a conduta da maioria dos protestantes nos primeiros anos do nazismo, salvo se estivermos prevenidos de dois fatos: sua história e a influência de Martinho Lutero (para evitar qualquer confusão, devo explicar aqui que o autor é protestante). O grande fundador do protestantismo não foi só anti-semita apaixonado como feroz defensor da obediência absoluta à autoridade política. Desejava a Alemanha livre de judeus (…) – conselho que foi literalmente seguido quatro séculos mais tarde por Hitler, Göring e Himmler.

Em seu livro Why the Jews?(Por Que os Judeus?), Dennis Prager e Joseph Telushkin escrevem: “[...] os escritos posteriores de Lutero, atacando os judeus, eram tão virulentos que os nazistas os citavam frequentemente. De fato, Julius Streicher (nazista), argumentou durante sua defesa no julgamento de Nuremberg que nunca havia dito nada sobre os judeus que Martinho Lutero não tivesse dito 400 anos antes”. Alguns historiadores consideram Lutero o primeiro autor a delinear o anti-semitismo moderno.

Outras fontes:
Martin Luther, On the Jews and Their Lies (1543)

Fonte da matéria: 


2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente ele é tido como um SANTO, Herói, Pelos protestantes que não julgaram assim seu caráter MORAL, e suas idéias perante ao tempo ao qual ele estava submetido.

    A Pior das Obras de sua Ignorância foi ter confundido OBRAS DA LEI, que eram rituais do judaísmo e que Jesus mesmo aboliu, com OBRAS CRISTÃS, que é amor, caridade e outras fruto da BOA NOVA.

    Por isso o PROTESTANTISMO prega um EVANGELHO onde OBRAS não valem de NADA !

    http://aquariuspage.blogspot.com.br/2013/07/martinho-lutero-eo-seu-evangelho.html

    --------------------------------

    Sem contar com a SOLA ESCRIPTURA, SUA retirando da Bíblia sete LIVRO, SE ADEQUANDO AO CONCÍLIO JUDAICO DE JAMIA, que persegui os cristãos e a BOA NOVA naquela época.

    http://aquariuspage.blogspot.com.br/2013/11/o-numero-da-besta-imagem-e-marca.html

    Abração !

    ResponderExcluir

Deixe um comentário educado! Siga a política do 'se não pode dizer algo construtivo e legal, não diga nada.'