quarta-feira, 26 de março de 2014

"OVNI" do Mar Báltico volta às notícias de forma contundente!

Representação gráfica revisada da ‘Anomalia do Mar Bático’.
Quem não lembra do famoso ‘OVNI do Mar Báltico’ que (tecnicamente deveria ter sido chamado OSNI – Objeto Submerso Não Identificado – desde o início gerou muita polêmica e finalmente algum geólogo declarou, sem ter ido até o local, que se tratava de uma rocha da era glacial?

Pois agora, a equipe OceanX de Dennis Åsberg retorna com mais informações sobre este intrigante objeto encontrado no fundo do Mar Báltico em 2011.  De acordo com a equipe de exploradores do OceanX, eles descobriram na parte interna da estrutura ângulos retos, paredes com superfícies absolutamente planas e cavidades similares a corredores, bem como algo que se assemelha à uma escadaria.

Ângulo reto determinado por sonar.
“Quando fomos e vimos as paredes que eram retas e planas, foi assustador, como num filme de ficção científica“, disse Dennis Åsberg.

De acordo com o site nexusilluminati.blogspot.co.uk, que agregou informações de entrevistas e diferentes relatos, abaixo está uma relação do que foi encontrado da anomalia:

Formação sobre o topo da anomalia,
apelidada de “O Suspito” (doce).
- Possui um formato exterior circular em forma de disco;
- São 180 metros de circunferência;
- O objeto, que tem o formato de cogumelo e um diâmetro de 60 metros está sobre um pilar grosso com 8 metros de altura desde o leito do mar, com uma cúpula de 4 metros de espessura, formando um cogumelo.
- Sua altura total é de 12 metros;
- Possui cavidades similares a corredores dentro do objeto;
- As paredes são planas e certas áreas possuem um ângulo reto;
- Há formações visíveis no topo do objeto, que estão colocadas a 90 graus e se parecem com passagens ou paredes, bem como algo que parece ser uma escadaria;
- Possui círculos de pedra, como ‘fogueiras’, de rocha dura e negra, com alguns centímetros de diâmetro, como 4 ou 5 pérolas num colar em várias disposições no topo da cúpula;
- Na parte superior da cúpula, deslocada para um dos lados, há uma formação de 4 metros de diâmetro apelidada de “The Meringue” (‘Meringue‘ significa ‘suspiro’, o doce de clara de ovos), cuja foto pode ser vista acima;
- Possui um buraco de vinte centímetros de diâmetro no topo do objeto, e não se sabe aonde ele termina dentro dele.

E estas são somente algumas das anomalias reportadas.

As últimas revelações sobre os ângulos reto, paredes de superfície perfeitamente plana e cavidades similares a corredores dentro do objeto são, de acordo com o site que publicou a notícia, “mais estranhas do que um OVNI poderia ser“.

Um fenômeno curioso que tem ocorrido, segundo os mergulhadores, é a constante falha no equipamento eletrônico quando eles se aproximam da anomalia.  Eles suspeitam que isso pode estar relacionado à uma perturbação magnética na área.

Rochas distribuídas como fogueira por sobre o topo da anomalia.
Por que nada está funciona, nada elétrico e o telefone por satélite também parou de funcionar quando estávamos sobre o objeto e então nos afastamos uns 200 metros e ele ligou novamente, e quando retornamos por sobre o objeto ele parou de funcionar…?” – Stefan Hogeborn

Os mergulhadores disseram que um pó ‘negro’ havia sido atraído até a câmera, embora eu não tenha visto.  Outra coisa é que não podíamos usar o telefone por satélite quando estávamos por sobre o círculo, mas somente a dezenas de metros afastados.  Não sei porque, mas isto é um fato.  Além disso, a luz da câmera de vídeo explodiu quando os mergulhadores a ligaram na superfície, quando a testávamos antes do mergulho número 2.  Eles decidiram de qualquer forma levar a câmera com eles e tentar usar as luzes normais para iluminar o vídeo.  Quando eles desceram, a câmera começou a mostra uma mensagem de erro…” – Peter Lindberg.

Os mergulhadores disseram que ainda terão alguns meses para mergulhar antes que as intempéries climáticas atrapalhem.  Mas que esta será a última expedição que farão, pois acham que uma equipe de cientistas deveria assumir daqui para frente e fazer um expedição científica real na região.

Fontes: 


Um comentário:

  1. Espero que continuemos a ter notícias sobre isso. Esse tipo de coisa costuma ser abafado depois de um tempo e nunca mais ouvimos falar.

    ResponderExcluir

Deixe um comentário educado! Siga a política do 'se não pode dizer algo construtivo e legal, não diga nada.'