sexta-feira, 11 de outubro de 2013

A Intensa Atividade EXTRATERRESTRE no AMAZONAS

De acordo com a revista UFO, o avistamento pioneiro ocorreu em 1957, quando várias pessoas presenciaram o aparecimento de um brilhante OVNI, no centro de Manaus.


Manaus - ‘Operação Prato’ (PA), ET de Varginha (MG), o ‘Mistério das Máscaras de Chumbo’ (RJ), ‘Caso Vilas-Boas’ (MG). Muitos são os relatos de supostos contatos extraterrestres no Brasil, e o Amazonas não está fora dessa lista. De acordo com informações divulgadas pela revista UFO, o avistamento pioneiro ocorreu em 1957, quando várias pessoas presenciaram o aparecimento de um brilhante Objeto Voador Não Identificado (OVNI), no centro de Manaus.

Em depoimento breve, por telefone, devido a complicações de saúde, o ufólogo Manoel Gilson Mitozo, 60, afirmou que um caso marcante em Manaus foi o da fazenda Picanço, na década de 1990. Em relato divulgado pela UFO, ele, que autorizou a reprodução do texto presente na publicação, afirmou que a estadia de um ano na localidade não deixou dúvidas a respeito da ação de forças extraterrenas.

De diversas aparições de OVNIs a abduções de ufólogos e do proprietário do local, o engenheiro agrônomo Raimundo Picanço, a fazenda foi objeto de estudo de diversos pesquisadores. “Na tentativa de elucidação dos fatos, pode-se relacionar também o caso de mutilação de uma vaca que, segundo o capataz da propriedade, foi causa por uma onça — mas o estado em que foi encontrada, totalmente desfigurada, invalida a hipótese”, afirmou Mitozo.

No texto, de acordo com o ufólogo, o próprio Picanço descobriu que as aparições de OVNIs já ocorriam há mais de 20 anos. “Segundo Picanço, os moradores vizinhos relatam que, durante uma festa de final de ano, quando todos já se retiravam, alguém olhou para trás e viu algo com o formato de um ‘grande morcego’, que permaneceu voando baixo sobre a casa”, informou.

De volta à conversa por telefone, o ufólogo falou sobre a área de atuação. “É importante dizer que tudo em ufologia é hipótese. Tenho 41 anos de pesquisa na área e presenciei diversos fatos que não me deixam dúvidas quanto à existência de vida fora da Terra, mas não possuo comprovação científica”, disse.

Na visão de Mitozo, também há muitos entraves que põem os estudos ufológicos em xeque. “Um é a Síndrome do Contatado, no qual a pessoa diz que viu um disco voador, depois não tem certeza e precisando, urgentemente, revê-lo, para provar o avistamento, passa a inventar novos fatos”, citou.

“Outro é a diversidade de gente atuando. Muitos fazem aquela ‘ufologia de gabinete’, na qual reúnem fatos de internet e saem até dando palestras. Falta coragem para ir a campo e fazer como fiz, indo sozinho à fazenda Picanço e ficando à mercê do desconhecido”, complementou.

Assista alguns casos:






Ufologia espiritualista

Graduado em Desenvolvimento de Softwares, o funcionário público Fábio Paes de Carvalho, 42, teve seu interesse pela área despertado ainda criança. “Eu tinha 10 anos e dormia no quarto dos meus pais. Em um determinado momento, acordei e vi uma luz forte pela janela. Ao abri-la, avistei três naves com luzes coloridas sobrevoando a casa do meu vizinho”, relembrou, ao descartar a influência de filmes.

“Não por eu ficar impressionado ou coisa assim com filmes de ficção científica, mas é que eu era uma criança longe desse tipo de passatempo. Meu negócio era jogar bola na rua. Posso garantir que sequer tinha referências para fantasiar algo do tipo”.

Fábio, que disse nunca ter se esquecido do episódio, acabou buscando explicações. “Quando cheguei à ufologia, conheci dois caminhos. O mais científico, que busca provas concretas, e o lado experimental pessoal. Foi nesse segundo que me encaixei, pois eu não buscava embasamento para minhas experiências. Eu só queria respostas para mim”, comentou.

Depois do contato inicial, o amazonense relatou outros contatos com seres extraterrestres. “Dirigindo pela estrada, já tive meu carro acompanhado, diversas vezes, por objetos voadores”, disse. “Houve uma vez, durante uma viagem de barco, em que, após a aparição de um objeto de metal planando sobre o rio, todos os tripulantes ficaram paralisados, congelados. Tentei, sem sucesso, fazê-los falar comigo (fui o único a não ser afetado pelo fenômeno), mas não consegui”, emendou.

Um contato ainda mais próximo, posteriormente, pôs Fábio frente a frente com um desses seres. Ao conversar com uma amiga que afirmava sentir fortes dores nas costas, ele flagrou uma criatura que se prendia a coluna vertebral dela. “Era como se somente eu pudesse enxergá-lo. Meu método foi o de concentrar energia, coisa que aprendi no decorrer das experiências extraterrenas, e direcioná-la a ele. Depois disso, o parasita caiu no chão e se desfez em cinzas”, relatou.

Para Fábio, sua própria origem remete a lugares de fora da Terra. Com base em uma teoria que envolve até reencarnação, ele revelou que mantém uma ‘janela aberta’ para o dia em que pode concluir que ‘viajou na maionese’. “Não posso ter uma postura radical, pois isso cega as pessoas. Apesar de eu acreditar nesses seres, de saber de suas intenções divergentes, não descarto a possibilidade de um dia abandonar tudo. É possível”, finalizou.

Posicionamento oficial

Em reportagem publicada pela revista IstoÉ, em 2009, documentos da Aeronáutica sobre a ‘Operação Prato’ revelaram que duas dezenas de oficiais da Força Aérea Brasileira (FAB) foram mobilizados para investigar a presença de OVNIs, em Colares (PA). Foram 1,3 mil folhas de um total estimado em 25 quilos de material, com descrições, croquis e fotos de OVNIs referentes a três lotes de informações da FAB.

Os arquivos também mostram que a Aeronáutica teve um departamento específico de estudos entre 1969 e 1972: o Sistema de Investigação de Objetos Aéreos Não Identificados (Sioani), que funcionava nas instalações do 5º Comando Aéreo Regional (Comar), em São Paulo. O material está disponível no link http://goo.gl/PFNXP0

Outros casos nacionais

Incidente de Varginha - Possível série de aparições de OVNIs (nesse caso, naves espaciais e sondas de origem alienígena ou extraterrestre), uma apreensão de nave e a captura de seres extraterrestres inteligentes (pelo menos um deles ainda vivo) pelas autoridades militares brasileiras em 20 de janeiro de 1996, no município mineiro de Varginha.

Mistério das Máscaras de Chumbo - Nome dado aos acontecimentos que levaram à morte dos técnicos em eletrônica Manoel Pereira da Cruz e Miguel José Viana. Seus corpos foram encontrados em 20 de agosto de 1966. Os corpos portavam máscaras de chumbo utilizadas contra radiação, o que motivou suspeitas sobre o envolvimento de extraterrestres.

Caso Vilas-Boas - Na madrugada de 16 de outubro de 1957, o agricultor Antônio Vilas-Boas arava a terra sozinho com o trator quando disse ter sido surpreendido por uma luz vermelha. Seu relato descrevia uma abdução, com detalhes descritivos da aeronave pela qual foi transportado e dos seres que a tripulavam.
Fonte: d24am.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário educado! Siga a política do 'se não pode dizer algo construtivo e legal, não diga nada.'