quinta-feira, 3 de setembro de 2015

SANTA SARA: A Filha de JESUS CRISTO e MARIA MADALENA



Contam as antigas lendas francesas relacionadas à descendência de Jesus Cristo e Maria Madalena que durante a perseguição aos cristãos primitivos ocorrida nos anos seguintes à crucificação, alguns dos discípulos do Grande Kabir e pessoas próximas ao Divino Casal fugiram da Judeia em um barco e chegaram à costa sul da Gália, atual França.

Na embarcação usada para a fuga pelo mar Mediterrâneo estavam os irmãos Lázaro, Maria Madalena e Marta, juntamente com a mãe dos apóstolos João e Tiago, chamada Maria Salomé, acompanhados ainda por Maria de Cleofas, a tia de Jesus, e Maximin d’Aix, um dos setenta e dois discípulos de Jesus Cristo e famoso evangelizador da região de Aix-en-Provence.

Além de todos eles, participava desta jornada uma jovem de pele morena, supostamente vinda do Alto Egito para servir à tia de Jesus como aia. Seu nome era Sara, quem atualmente vem sendo identificada na literatura sobre a descendência familiar de Jesus Cristo como sendo sua filha com Maria Madalena.

Esta tradição ressurgiu com força na década de 1980, graças à obra O Santo Graal e a Linhagem Sagrada, dos escritores Michael Baigent, Richard Leigh e Henry Lincoln. Nos últimos anos, as teorias sobre os frutos da união matrimonial celebrada entre Jesus e sua principal discípula vêm ganhando cada vez mais força no imaginário popular graças à publicação de novos romances históricos baseados nas ideias que acabaram sendo popularizadas pelo escritor Dan Brown.

Alguns autores mais recentes que aproveitam o sucesso do bestseller O Código Da Vinci e a ideia que identifica o Santo Graal com o Sangue Real dos herdeiros do Salvador e sua esposa redimida sugerem que Santa Sara, a menina egípcia que acompanhou os familiares e discípulos de Jesus Cristo na embarcação rumo às terras francesas, era na verdade a filha do divino casal da Galileia.

Este é o caso do livro The Woman with the Alabaster Jar: Mary Magdalen and the Holy Grail (A Mulher com o Vaso de Alabastro: Maria Madalena e o Santo Graal), escrito por Margaret Starbird e publicado em 1993, contendo a ideia de que Santa Sara é a filha de Jesus e Madalena, e que este fato seria a autêntica fonte da lenda associada com a mística de Saintes-Maries-de-la-Mer.

Como já mencionamos acima, a tradição local afirma que a cidade de Saintes-Maries-de-la-Mer foi o porto onde os familiares e discípulos de Jesus desembarcaram de sua fuga pelo Mediterrâneo. No barco estavam as chamadas Três Marias, Maria Madalena, Maria Salomé e Maria de Cleofas, as três mulheres que primeiro testemunharam a tumba vazia de Jesus, e cujas relíquias são o foco de devoção de peregrinos.

Assim que Jesus foi crucificado, as Três Marias e sua comitiva teriam partido da cidade egípcia de Alexandria acompanhadas de seu tio, José de Arimateia. As lendas francesas sustentam que a embarcação chegou ao território que hoje corresponde ao sul da França, onde havia uma fortaleza chamada Oppidum-Ra. O local passou logo a ser conhecido como Notre-Dame-de-Ratis, pois Ra se tornou Ratis (que em latim significa algo como “navegar”), para mais tarde tornar-se Notre-Dame-de-la-Mer, e no século XIX, Saintes-Maries-de-la-Mer.

Margaret Starbird afirma que o nome Sara significa “princesa” em hebraico, um forte indicativo de que ela seria a descendente esquecida do “sang réal”, o sangue real do Rei dos Judeus. O esquecimento de Sara teria sido consequência da supressão que o Catolicismo Romano realizou sobre a veneração e a devoção ao Sagrado Feminino, resultando num desequilíbrio espiritual da doutrina cristã.

Para a autora, o Cristianismo Primitivo incluía a celebração do chamado Hierosgamos, que significa “casamento sagrado”, a união sexual divina e divinizante, o mesmo Sacramento da Câmara Nupcial dos antigos gnósticos, e o Grande Arcano dos gnósticos contemporâneos, tal como foi ensinado por Samael Aun Weor em sua extensa obra.

Esta celebração oferecia um modelo arquetípico do noivo (Jesus Cristo) e da noiva (Maria Madalena), ensinando a metafísica da união do Espírito Puro (Real Ser Interior) com a Alma Arrependida (que vai sendo liberta dos Eus Psicológicos), e a ciência da união sexual entre homem e mulher. Este último corresponde à mescla inteligente do erótico com o sagrado, um ato religioso capaz de converter seus adeptos em deuses, ou seja, de levá-los à união com a Divindade para conhecer seus Mistérios.

Este modelo de unidade conciliadora da dualidade acabou sendo perdido logo nos primeiros séculos do Cristianismo, uma verdadeira tragédia espiritual que acabou excluindo as lideranças femininas, o que era muito comum no tempo dos primeiros discípulos de Jesus. A autora insiste que tal parceria sagrada é universal e apenas reflete aquela existente em outras regiões do planeta, em contextos religiosos muito anteriores ao daquele em que se formou a religião do Cristo.

Nos dias atuais, para o bem da retomada do equilíbrio de gêneros na religiosidade cristã e a revisão da importância da sexualidade para uma espiritualidade conciliadora do humano com o divino, Santa Sara converteu-se em um instrumento de oposição aos velhos padrões autoritários e de rigidez hierárquica, onde o masculino impera à força e às cegas sobre o feminino por puro medo de perder seu poder e de ser tragado pela sensualidade que secretamente deseja.

E para o esoterismo gnóstico, Santa Sara representa o fruto maravilhoso deste casamento divino que acontece no interior de cada discípulo que celebra o Hierosgamos, que recebe o Sacramento da Câmara Nupcial, e que opera com o Grande Arcano ensinado pelo Gnosticismo nos dias atuais. Este fruto é a alma cristificada, livre de toda amarra psicológica, das ilusões e dos apegos, pronta para experimentar a GNOSIS e com ela a VERDADE.

Fonte: SGI

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Satélite Extraterrestre “CAVALEIRO NEGRO” de 13.000 anos filmado sobre Jacksonville/FL, EUA? - [VÍDEO]

A filmagem ao final deste artigo mostra, alegadamente, o assim chamado “Satélite Cavaleiro Negro” no céu dos Estados Unidos.


Estudiosos de OVNIs dizem que o dito satélite, o qual estaria orbitando a Terra, tem aproximadamente 13.000 anos e é de origem extraterrestre.

Esta filmagem aparece após relatarem de que o satélite foi filmado passando pela Estação Espacial Internacional e pela Lua.

Num vídeo tremido, publicado no YouTube, um grande objeto negro teria sido filmado sobre a cidade de Jacksonville, na Flórida – EUA.

A estrutura com forma bizarro é mostrada com três objetos menores pairando no ar próximos à ela.  Os objetos desaparecem repentinamente.

Uma mulher que filmou o estranho objeto primeiramente pensou se tratar de uma pipa.

Tyler Glockner, do Secureteam10, o qual coloca vídeos de OVNIs online, disse; “Esta nave se parece muito como ‘Satélite Cavaleiro Negro’, o qual também acredita-se ter sido capturado numa série de imagens da NASA em 1998.  Ele possui uma origem extraterrestre e está nos orbitando agora numa órbita polar próxima à Terra.  A semelhança do ‘Cavaleiro Negro’ com a nave filmada sobre Jacksonville incita a questão de que o ‘Cavaleiro Negro’ não só é real, mas também possui a habilidade de sair da órbita da Terra e nos visitar aqui na superfície, por propósitos desconhecidos.”

O ‘Satélite Cavaleiro Negro’ é descartado por muitos como sendo uma farsa imaginada por teóricos da conspiração.

Acredita-se que a história originou em 1954, quando jornais dos EUA publicaram artigos atribuídos ao major aviador naval reformado e pesquisador de OVNIs, Donald Keyhoe.

Ele teria dito que a Força Aérea dos EUA reportou ter detectado dois satélites orbitando a Terra.

Nenhuma nação tinha a tecnologia para lançar satélites naquela época. Mas este vídeo vem a agregar à quantidade cada vez maior de evidências apresentadas pelos caçadores de OVNIs, as quais dão suporte à existência do misterioso satélite.

As fotos da NASA, que supostamente mostram o satélite, foram liberadas após a missão do Ônibus Espacial Endeavor, em 1988, até a Estação Espacial Internacional.

Porém, a NASA disse que as imagens mostram somente cobertores térmicos que foram perdidos durante trabalho na Estação Espacial.

Veja abaixo a filmagem feita pela testemunha:


Fontes: