domingo, 21 de janeiro de 2018

Descoberta de mais de 20 Anos tem Origem Extraterrestre

Revelou-se que os elementos que estão dentro dessa rocha única, não podem ser encontrados em nenhum lugar da Terra ou em qualquer parte do Sistema Solar.


Os cientistas chegaram à conclusão que a estranha pedra descoberta há mais de 20 anos tem origem extraterrestre.

De acordo com a pesquisa, a rocha conhecida como Hypatia é composta por minerais que não pertencem a nenhum meteorito ou cometa. Ou seja, o estudo revela que os elementos que se encontram dentro dela não podem ser achados em nenhum lugar da Terra, e também há pouca possibilidade de que essa pedra pertence ao Sistema Solar.

Hypatia foi descoberta no deserto do Saara, Egito, em 1996. Mas somente em 2013, os investigadores da Universidade de Johannesburgo (África do Sul), confirmaram que a pedra é de origem extraterrestre, tornando-se assim um objeto único na Terra.

Para saber mais sobre a rocha misteriosa de Hypatia, os cientistas analisaram sua composição química. Assim, eles descobriram que a pedra não possui um mineral conhecido como silicato, que geralmente é encontrado em objetos espaciais que se movem dentro do Sistema Solar.

Pedra extraterrestre Hypatia encontrada no deserto do Saara, Egito, em 1996

Nessa conexão, o pesquisador principal, Jan Kramers, destacou que esta pedra rompe todas as teorias. "Nos meteoritos do tipo condrito, observa-se uma pequena quantidade de carbono e considerável quantidade de silício. Mas a Hypatia tem uma enorme quantidade de carbono e uma quantidade excepcionalmente pequena de silício", explicou, adicionando que a Hypatia se formou em um ambiente frio.

Os componentes do carbono ou os hidrocarbonetos policíclicos presentes na Hypatia, são elementos principais da poeira interestelar — crê-se que existissem mesmo antes da formação do nosso Sistema Solar. Portanto, o último estudo sobre a composição química da pedra, poderá dar novo impulso aos cientistas para reconsiderarem a formação do Universo.


Câmara Secreta da Grande Pirâmide Egípcia Pode Conter Trono 'EXTRATERRESTRE'

No início de novembro de 2017, a revista científica Nature publicou um artigo dedicado à descoberta de um enorme espaço vazio no interior da Grande Pirâmide de Gizé no Egito. Desde então, cientistas estão se questionando qual poderia ter sido a função desta cavidade.


A cavidade, de pelo menos 30 metros de comprimento, tornou-se a primeira estrutura interna encontrada nesta construção antiga desde o século XIX.

O especialista italiano, Giulio Magli, professor de arqueoastronomia na Universidade Politécnica de Milão, formulou uma das primeiras hipóteses: o grande espaço vazio poderia conter um trono de ferro de origem extraterrestre, que o faraó teria utilizado antes de falecer, segundo o RT.

O cientista afirma que o trono talvez tivesse cumprido a função de "transporte" para a vida após a morte. "Há uma possível interpretação, que está bem de acordo com o que sabemos sobre religião funerária egípcia, tal como se vê nos Textos das Pirâmides. Os textos dizem que o faraó, antes de chegar às estrelas do norte, terá que passar as portas do céu e se sentar em seu trono de ferro".

Magli descarta que se trate de uma cavidade projetada para diminuir o peso da estrutura maciça. "A área recém-descoberta não tem a função prática de aliviar o peso, porque o teto da galeria já estava construído com uma técnica de suporte por este mesmo motivo".

"Claro que não seria ferro fundido, que não era utilizado naquele tempo, mas sim o raro ferro caído do céu sob a forma de meteoritos de ferro […] (distinguível devido à alta porcentagem de níquel)", que também é citado nos textos, afirma Magli em seu estudo.

Os egípcios já utilizaram este curioso material anteriormente para desenhar dispositivos diferentes, em particular a famosa adaga de Tutancâmon, fabricada há mais de 3,3 mil anos.

A Grande Pirâmide de Gizé, construída por volta de 2570 a.C., está situada nos arredores da capital egípcia, Cairo. É a mais antiga das sete maravilhas do mundo e a única que se conservou até hoje.


sábado, 20 de janeiro de 2018

Dr. Steven Greer Comenta sobre a Chegada da 'Invasão Alienígena de Falsa Bandeira'


Durante décadas, o público dos EUA foi programado para acreditar que a divulgação de qualquer presença alienígena ou extraterrestre genuína na Terra virá como uma ameaça, provavelmente na forma de uma invasão hostil em todo o planeta. Em tal cenário, nosso único salvador seria uma raça humana unida e armada até os dentes com um armamento incrivelmente sofisticado do complexo industrial militar.

Hollywood fez seu trabalho de criar e reforçar essa percepção com filme após filme de homem versus extraterrestre. Sempre valente, sempre explosiva, está uma campanha de décadas de difamação valiosa que desafia as experiências pessoais de um número incalculável de pessoas que tiveram contato com outros seres alienígenas, muitas vezes descrevendo-os como pacíficos. Também desafia  relatos muito credíveis de interferência de alienígenas com as armas nucleares da Terra, o que sugere que uma presença extraterrestre possa realmente funcionar em benefício da humanidade e do planeta.

Um esforço contínuo maciço, como este, tem um propósito estratégico, no entanto, e o Pentágono finalmente revelou o objetivo, mal escondido na recente mini-divulgação publicada no New York Times, "Glowing Auras and ‘Black Money’: The Pentagon’s Mysterious U.F.O. Program".

Em suma, é um programa gerenciado pela comunidade de inteligência como um meio de sempre canalizar dinheiro público para os cofres de fornecedores de armamentos, enquanto militarizam o espaço para aumentar a dominação sobre a raça humana e manipular a consciência humana para restringir nossa compreensão da conexão entre o mundo material e as realidades interdimensionais.

Há já alguns anos, o renomado investigador alienígena Steven M. Greer advertiu que uma falsa invasão alienígena orquestrada está em andamento desde o final da Segunda Guerra Mundial e que essa invasão de falsa bandeira logo estará em andamento. Comentando a recente revelação do New York Times e como ela se encaixa perfeitamente nesta estratégia do estado profundo, Greer falou recentemente com Harris McCormick do The Outer Limits of Inner Truth Radio.

Na década de 1950, foi decidido que isso seria mantido em segredo, mas que quando ele se tornasse público, eles o apresentariam como uma ameaça quando estivessem muito exaustos, ou precisassem reunir o mundo em torno de uma ameaça alienígena comum. ~ Steven M. Greer


De acordo com Greer, parece que a comunidade de inteligência está finalmente jogando o cartão de ameaça e agora está apresentando o mundo à ideia de programas secretos de defesa em preparação para uma guerra com extraterrestres.

A mídia não cobre esse problema, a menos que eles sejam instruídos a fazê-lo pelas pessoas da comunidade de inteligência e por motivos específicos. Então, a cobertura sobre isso, a qual foi difundida, foi orquestrada, mas teve dentro dela uma mensagem subliminar de uma ameaça do espaço. ~ Steven M. Greer

A entrevista completa com Greer e McCormick pode ser ouvida AQUI.

Além do objetivo de maior controle e gastos ilimitados de orçamento de guerra, a supressão de informações sobre a presença extraterrestre na Terra serve para nos manter escravizados no modelo econômico dos anos 1800 da civilização humana. Tendo expandido para fornecer energia baseada em carbono para mais de 7 bilhões de pessoas, esse pesadelo ecológico desatualizado é mantido por indústrias legadas que impedem o desenvolvimento de tecnologias de energia verdadeiramente limpas.

Além disso, este modelo econômico e político é explicitamente projetado para perpetuar a guerra e a destruição das civilizações na Terra. Estamos presos nos horrores do ecocídio e do genocídio; e até acordarmos e derrubarmos esse paradigma, nosso futuro é realmente sombrio.

De acordo com Greer:
A verdadeira pergunta que precisamos fazer é: como poderia ser a nossa sociedade sem a repressão desta informação e sem uma visão de existência baseada em ameaça?
Eles não querem revelar de uma maneira que não fortaleça a guerra. Então eu digo às pessoas, nós temos uma escolha aqui. O futuro é paz universal ou guerra e destruição sem fim.