quarta-feira, 23 de abril de 2014

‘MONSTRO de LOCHNESS’ foi FOTOGRAFADO por Satélite da Apple?

Barcos podem ser vistos nitidamente na margem do lago. O sombrio objeto mede aproximadamente 30 metros de comprimento.

Esta figura sombria, medindo por volta de 30 metros de comprimentos e que parece ter duas nadadeiras gigantes, foi fotografada por satélite enquanto este sobrevoava o Lago Ness, na Escócia.

A imagem tem sido estudada por especialistas do ‘Clube Oficial de Fãs do Monstro do Lago Ness‘, onde o entusiasmo está aumentando após várias explicações para a imagem terem sido descartadas, deixando a conclusão de que ela provavelmente seja uma foto do monstro elusivo.

O presidente do clube, Gary Campbell, que mantém os registros de todos os avistamentos, disse: “Temos olhado para a foto por um longo tempo, tentando descobrir exatamente o que seja. Se parece com ondas deixadas por um barco, mas o barco não está lá.  Você pode ver os barcos atracados na margem, mas não há um aqui.  Mostramos a foto para especialistas em barcos e eles não sabem o que é.  Seja lá o que for, está debaixo d’água e indo na direção sul. Assim, ao menos que tenha alguma manobra secreta de submarinos no lago, o tamanho do objeto faz com que ele possa ser o Nessie“.

Ele disse que outras explicações lógicas – tais como um tronco boiando, ou uma foca fazendo ondulações – também não podem ser usadas para explicar este objeto.

A imagem colocou um fim na recente ausência de ‘avistamentos confirmados’ da criatura. Em fevereiro, Campbell anunciou que ninguém tinha se manifestado nos 18 meses anteriores para reportar um avistamento do Nessie. Esta foi a primeira vez que houve uma ausência de avistamentos por um longo período, desde 1925

O clube foi alertado quanto a nova imagem por duas pessoas, que a notaram no final do ano passado em fotos de satélite utilizadas pela Apple para seus mapas de smartphones.

Uma das pessoas que descobriu o objeto na foto foi Andrew Dixon, de 26 anos de idades, que faz trabalhos de caridade para a Ambulância Aérea Great North, no Condado de Durham. Ele disse: “Foi uma total casualidade eu o ter encontrado. Eu estava olhando as imagens de satélite da minha cidade e então pensei em dar uma olhada no Lago Ness. A primeira coisa que me veio em mente quando eu o vi foi, ‘este é o monstro do Lago Ness’. Algo sobre o formato dele, eu achei que tinha que ser algo mais do que uma sombra. Eu estava entusiasmado. Nunca estive no Lago Ness, mas sempre fui interessado neste tipo de coisa.

Peter Thain, de Newbiggin by the Sea, Northumberland,também olhou a mesma imagem através do aplicativo de imagem de satélite da Apple. Tanto ele quando Dixon enviaram imagem para o clube.

Campbell, de 49 anos de idade, um contador que mora em Inverness, disse: “Agora que temos espiões nos céus por sobre o Lago Ness, talvez poderemos obter mais avistamentos, o que irá aumentar o apetite para mais caçadores do Nessie que tenham os pés no chão, para virem até o norte. Além disso, o uso de tecnologia de satélite significa que se Nessie está nadando logo abaixo da superfície, como neste caso, ainda poderemos o detectar“.

Ele ainda disse: “O ano passado foi a primeira vez em quase 90 anos que o Nessie não foi visto. Após Nessie ‘ter desaparecido’ por 18 meses, é muito bom vê-lo de volta”.

Apesar das explicações do clube, uma outra explicação para o que se vê na foto é de a que poderia ter simplesmente sido correntes submarinas no lago.

Fontes: 

IMPLANTES ALIENÍGENAS - Saiba mais!


Quantas pessoas sabem das últimas descobertas (provas físicas) de implantes extraterrestres? A partir da pesquisa do cirurgião podiátrico,Roger Leir(recém falecido), cientista de materiais químicos (e especialistas tecnológicos de nano tubos) Steve Colbern e o físico Robert Koontz.

Os Implantes alienígenas Greys são um fenômeno mundial, ou talvez por zonas localizadas, mas em muitos casos eles são fisicamente detectáveis. Você já notou um objeto estranho depois de um sonho estranho ou paralisia do sono? Pois saiba que implantes alienígenas reais já foram encontrados.

Este Raio-X mostra um implante alienígena que
teria sido removido da espinha de um homem.
De que são feitos? Muitas vezes “Meteoric Ferro” (com isótopos não-terrestres) com cobalto e quantidades significativas de irídio. Eles têm razões isotópicas que não ocorrem naturalmente na Terra. Um era de uma classe de meteoritos de ferro-níquel chamados hexahedrites. Especulativamente: isótopos mais pesados e ​​podem ter sido formados perto do núcleo galáctico e ou devido à supernovas.

Eles são normalmente irregulares e cobertos com uma casca oleosa e um  revestimento duro que impede a rejeição do corpo. Não produzem resposta imunológica. O tecido biológico cresce a partir do metal. Isto foi visto com EDX Microscopia Eletrônica.

Alguns dos implantes emitem sinais de rádio FM de radiação eletromagnética antes da remoção de frequências relacionadas com escalares de 93 MHz, 15 MHz, até mesmo uma frequência utilizada nas comunicações de satélites espaciais. Parecem ter um revestimento de superfície, sensível ao fônons, a fim de retransmitir ondas sonoras. Se você quebrá-los, eles se remontam (Bob Koontz). Há eletrônica de nano tubos de carbono nesses dispositivos não encontrados na natureza (Steve Colbern). Eles parecem ser nano tubos de parede simples. Steve Colbern, cientista químico material, nano-técnico  diz que é tecnologia muito avançada para a Terra (e possivelmente encoberta na Terra). Roger Leir menciona que eles são frequentemente encontrados em muitos lugares, não só superficialmente no corpo, mas também perto de ossos. As células nervosas se conectam aos dispositivos! Alguns dos objetos têm fortes campos magnéticos de mais de 10 milligauss.

Cerca de 15% dos abduzidos mostram significativa fluorescente, brilha na área da pele por até 1 mês (detectáveis ​​com UV-A, mas mais com UV-B e UV-C). Detectores de metais, raios-X e medidores de Gauss podem detectá-los no corpo. Mas é claro que com raios-X, é difícil localizá-los, as tomografias podem localizá-los com mais precisão.

Muitas vezes, não há sinais visíveis de entrada. Se os sinais de entrada são detectados logo após um evento de implante eles fecham-se e não deixam nenhuma marca em um dia ou dois. Cerca de 24 implantes já foram recuperados. Alguns têm rômbicas estruturas cristalinas regulares, orto de cloreto de sódio, que são retangulares e variam em tamanho (Steve Colbern). Talvez eles sejam usados ​​para gerar freqüências de rádio escalares (Bob Koontz). Muitas vezes, o cirurgião podiátrico, Roger Leir, tentou removê-los com aço cirúrgico, para evitar o uso do bisturi.

Se cerca de 2% da população dos EUA tem vários sinais de abdução é realmente um indicativo de que talvez o número de pessoas implantadas seja, relativamente falando, muito grande. Se isto é real. Quantas pessoas estão sendo implantadas ou monitoradas de outras maneiras por seres ETs não-cinzas?

NOTA ETs & ETc…: O dr. Roger Leir, infelizmente falecido recentemente, alertou que em alguns casos é possível descobrir se há um implante em seu corpo, passando próximo ao local suspeito, uma LUZ NEGRA. Alguns implantes fazem a pele fulgurar em contato com este tipo de iluminação. Outra coisa impressionante que o dr. Leir descobriu empiricamente em suas cirurgias, é que em alguns casos, um implante quando retirado do corpo do implantado e limpo, se desintegrava, simplesmente desaparecia. Para evitar que isso ocorresse mais vezes ele começou a adotar a seguinte prática: Retirava um pouco do sangue do implantado e colocava em um recipiente, depois retirava o implante e sem demora colocava-o no recipiente com o sangue do implantado. De alguma forma o implante, depois de um determinado tempo, fora do corpo do implantado(sem o contato com o seu sangue) se desintegrava. Já pensou que tecnologia é essa? Será que estão muito à nossa frente?

Fonte: etseetc.com