sexta-feira, 26 de agosto de 2016

3 DESCOBERTAS BIZARRAS que "ainda" não podem ser explicadas

Temos que admitir que o nosso planeta é muito mais bizarro do que qualquer que nós pode imaginar. Há inúmeras descobertas que têm sido feitas por todo o globo, as quais desafiam uma explicação. Algumas delas são taxadas de impossíveis e categorizados como farsas elaboradas, só porque ninguém foi capaz de explicá-las de forma precisa. Mas lembre-se, só porque algo é fora da norma e impossível de ser explicado não significa que seja uma farsa.

Algumas coisas são simplesmente inexplicáveis porque os pesquisadores que tentam compreendê-las as abordam com suas mentes fechadas. Para compreender de forma completa tudo que desafia uma explicação, devemos estar dispostos a aceitar que qualquer coisa seja possível.

A Garra do Monte Owen Moa


Pé preservado de Megalapteryx (moa), Musei Natural de História. (Wikimedia Commons)

Esta fascinante garra foi descoberta nas cavernas do Monte Owen Moa, na Nova Zelândia. Acredita-se que esta garra, extremamente bem preservada, tenha pertencido a um pássaro que não podia voar e que já está extinto há 3 mil anos.

Como o site cracked.com indica, a história por detrás desta descoberta parece ser um filme clássico de horror: Ela foi descoberta numa caverna na Nova Zelândia em 1863, por James Campbell. Então, sem explicação, ela desapareceu por alguns anos, até reaparecer e ser vendida pelo tataraneto de Campbell para o diretor do Museu Dominion de Wellington.

De garras para dedos gigantes.


Enorme dedo de 38 centímetros descoberto no Egito


Esta é uma das descobertas mais estranhas no Egito. De fato, em 1988, umas das principais agências de jornal da Europa, a BILD.DE, publicou um artigo sobre o dedo enigmático.

Sem dúvida, um dedo muito feio.

De acordo com muitos, o dedo é uma farsa, mas os testes de raio-x e o certificado de autenticidade contam uma história diferente.

Os restos deste dedo são impressionantes; ele é um enorme dedo humanoide mumificado que tem 38 centímetros de comprimento. Pesquisadores do Egito acreditam que ele tenha pertencido à uma criatura que tinha mais de 5 metros de altura. Somente algumas poucas pessoas conseguiram imagens deste incrível artefato em 1988.

Numa entrevista com a BILD.DE, Gregor Spörri, uma pessoa que viu o dedo declarou ao público em 2012:

Ele estava em um pacote retangular, cheirava mofo. Fiquei totalmente surpreso quando vi o gigante dedo marrom escuro. Fui permitido de segurá-lo e também de tirar fotos. Uma cédula de dinheiro foi colocada ao lado dele para se ter ideia de tamanho. O dedo dobrado estava aberto e coberto com mofo seco.

Pesquisadores têm opiniões conflitantes quando se trata desta relíquia misteriosa da antiguidade. O maior problema é que o dedo não se encaixa em quaisquer teorias convencionais apresentadas pelos arqueólogos e historiadores. Eles simplesmente acham que é impossível.


A grande esfinge: Um mistério sem fim


Vamos permanecer no Egito e dar uma olhada em um dos monumentos mais misteriosos encontrado na terra dos faraós.

A grande Esfinge de Gizé e talvez o monumento mais misterioso da terra. Por que? Porque de todos os monumentos encontrados no Egito, a grande esfinge é sem dúvida uma das estruturas mais enigmáticas, a qual ninguém tem sido capaz de explicar completamente.

Ninguém sabe a idade exata da Esfinge; ninguém sabe quem a construiu, por que ela foi construída, e que enormes câmaras, cavidades e túneis estão escondidos abaixo dela.

Sua idade é provavelmente o assunto mais disputado.  Alguns argumentam que ela data de antes da civilização egípcia antiga, outros declaram que não só ela pré-data a civilização egípcia, mas também tem pelo menos 800 mil anos.

Fonte: AncientCode

ANUNNAKIS - Deuses da antiga Suméria?


Vários autores e pesquisadores têm argumentado que os Anunnakis não são completamente compreendidos, e que os acadêmicos se recusam a admitir suas verdadeiras origens. Com base nas numerosas descobertas arqueológicas: artefatos, registros e monumentos encontrados no passado por especialistas, acredita-se que os Anunnakis (“aqueles que desceram dos céus”, em sumério), uma civilização altamente avançada de um planeta elusivo em nosso sistema solar, vieram à Terra e pousaram no Golfo Pérsico há uns 432.000 anos.

Mas imagine o que aconteceria se a história reconhecesse que há centenas de milhares de anos seres avançados de outro lugar do Universo vieram até a Terra e ajudaram a dar início à civilização humana?

Alienígenas ou não?

Se fizermos uma pesquisa pelo nome Anunnaki e olharmos por explicações alternativas que discordam com os estudiosos de comportamento predominante, eventualmente encontraremos a teoria do Astronauta da Antiguidade (alienígenas).

Esta teoria pressupõem que há milhares de anos, mesmo antes da história registrada, nosso planeta foi visitado por astronautas de outro mundo, seres inteligentes com uma tecnologia muito além da nossa hoje.

Muitos arqueólogos consideram o Iraque dos dias atuais como o “berço da civilização” e que os antigos Anunnakis são uma das razões principais porque esta parte do mundo desenvolveu tão rapidamente milhares de anos atrás.

Entre 3.500 e 1.900, os rios Tigre e Eufrates eram o lar dos sumérios, que prosperavam nesta região.

Há aproximadamente uns 250.000 anos, de acordo com Zacharia Sitchin, os Anunnakis antigos uniram seus genes alienígenas com o do Homo erectus e criaram uma espécie conhecida como Homo sapiens, obtendo como resultado uma espécie geneticamente bicameral .

Assim, basicamente quando olhamos para os antigos Anunnakis e sua origem real, encontramos duas diferentes perspectivas dos dois tipos de pessoas.

Aqueles que acreditam que os antigos Anunnakis sejam parte do mito da criação de culturas antigas, tais como os sumérios, os acadianos, os assírios e os babilônios, e aqueles que acreditam que aquilo que está escrito nos tabletes de argila da Mesopotâmia são descrições reais de seres de outro mundo que vieram para a Terra há centenas de milhares de anos.

Este parece ser um debate nervoso.

Mas mesmo antes dos Anunnakis terem supostamente criado a raça humana, fala-se que os Igigis – aqueles que vêem – foram os deuses astronautas da antiguidade da geração mais jovem, servos dos poderosos Anunnakis que vieram à Terra para minerar ouro.

Os estudiosos de tendência predominante usam o temo Igigi para referenciarem aos deuses sumérios mitológicos.  De acordo com esses acadêmicos, os Igigis eram os servos mais jovens dos Anunnakis, os quais iniciaram uma rebelião contra os ditadores de Enlil.  No final, os Anunnakis substituíram os Igigi pelos humanos.

No que você acredita?  Você acha que há evidência suficiente para apoiar as teorias a respeito da existência dos Anunnakis?  Seriam eles somente mitos, ou seria possível que eles eram deuses de carne e osso, que vieram até a Terra num passado distante, dando início à civilização humana?

Saiba mais sobre este assunto em:
Genesis Revisitado - A Verdadeira Origem da Humanidade

Fontes da matéria:

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

TUBARÃO GIGANTE é filmado no México - [VÍDEO]

Mergulhador divulga imagem de um raro exemplar da espécie, com mais de 6 m de comprimento.


Animais que chamam a atenção podem ser vistos aos montes na internet. Mas, um vídeo com um tubarão "gigante" dando um "oi" virou sensação nas redes sociais, nos últimos dias. Filmado em 2013, como parte de um documentário do canal de TV a cabo Discovery, a cena mostra um tubarão branco adulto de mais de 6 m de comprimento, e do porte de um hipopótamo, passando pela grade de proteção em que estão os mergulhadores.

A gravação foi feita na ilha de Guadalupe, no México, região em que é comum encontrar tubarões brancos. Porém, é extremamente raro se deparar um espécime com porte tão avantajado. A fêmea, apelidada de "deep blue" (azul escuro), já era conhecida do mergulhador mexicano Mauricio Hoyos Padilla, e, segundo ele, aparenta ter cerca de 50 anos de idade. 

"Eu dou a vocês o maior tubarão branco já visto em frente às jaulas na ilha de Guadalupe: deep blue", diz Hoyos em sua conta no Facebook, onde publicou o vídeo. Só nas primeiras 20 horas, as imagens já haviam sido vistas mais de 800 mil vezes e receberam nada menos que 16 mil compartilhamentos.