terça-feira, 2 de setembro de 2014

Encontrado antigo Evangelho que nega a crucificação de Cristo e anuncia profetas islâmicos


O museu de Ankara, na Turquia, guarda entre seus grandes tesouros um documento antiquíssimo, com mais de 1500 anos de registro. O livro em questão contém um misterioso texto, conhecido como o Evangelho Apócrifo, ou o Evangelho de Barnabé.

Escrito em aramaico, o livro revela um relato bastante diferente dos Evangelhos narrados nos Novo e Antigo Testamentos. Na verdade, sua história descreve Jesus como um profeta a mais e ignora seu caráter divino e definitivo. De acordo com o documento, Jesus não teria sido crucificado, e sim Judas Iscariotes, contradizendo a ideia da ressureição dos Evangelhos Canônicos. O texto também afirma que Jesus teria ascendido aos céus vivo e cita, em uma passagem, que o Mestre se referia a Paulo como “o impostor”.

Entre algumas das revelações encontradas no documento está uma profecia de Jesus sobre a chegada de Maomé, que fundaria o Islamismo 700 anos depois, além da previsão da chegada do último Messias islâmico, fato que ainda não teria ocorrido até os dias atuais. Muitos acreditam que os relatos do Evangelho de Barnabé com os fundamentos do Islã seriam a razão pela qual o Vaticano tentou ocultar o livro durante tantos anos.


Pilotos avistam estranho fenômeno emergindo das profundezas do Pacífico


Recentemente, o comandante de um voo entre Hong Kong e Anchorage avistou um brilho avermelhado intenso nas águas da Península de Kamchatka, enquanto sobrevoava o Oceano Pacífico. JPC van Heijst afirmou que foi a experiência mais aterrorizante de sua carreira como piloto comercial.

Segundo relato oficial, na quinta hora de voo, piloto e copiloto viram espantados um brilho intenso saindo das águas do oceano em direção ao céu. “Parecia um raio...Nunca vi nada igual”, declarou o comandante. Apesar de não ter recebido nenhum aviso de possíveis tempestades elétricas na rota, van Heijst decidiu fazer a travessia prevenido contra eventuais fenômenos atmosféricos. “Resolvi fazer algumas fotos do céu noturno e do estranho brilho verde que cobria todo o hemisfério norte”, explicou o piloto, que 20 minutos depois avistou o intenso brilho vermelho alaranjado, “o que foi muito estranho porque, supostamente, não havia nada além de um oceano sem fim, abaixo do avião”, segurou.

“Quanto mais nos aproximávamos, mais intenso era o brilho que iluminava as nuvens e o céu”, descreveu van Heijst. Fiquei muito assustado, pois o aeroporto mais próximo estava a praticamente duas horas de voo do local e não tínhamos outra alternativa senão sobrevoar a luz desconhecida. Reportamos tudo ao Controle de Tráfego Aéreo, que abriu uma investigação sobre o ocorrido”, finalizou o comandante. Entretanto, existem especulações que a origem do brilho pode ter sido causada pela explosão de um vulcão submarino.

Veja mais imagens neste vídeo postado no Youtube: