terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

ASTRONAUTAS foram FORÇADOS a Não Falarem sobre CONTATO com OVNIs e EXTRATERRESTRES?

O artigo abaixo, escrito por Douglas Herman e publicado no site alien-ufo-sightings.com, relata um tema já comentado aqui e em outros sites que tratam estes assuntos com seriedade e respeito, contudo dessa vez trazendo informações muito interessantes ainda não publicadas por este canal:


"Em nenhum momento, quando os astronautas estavam no espaço estavam sozinhos: havia uma vigilância constante por OVNIs." – Scott Carpenter, astronauta da NASA

Buzz Aldrin é um homem brilhante. Não é simplesmente notável por seu intelecto, mas por ser um homem profundamente espiritual. Desde há muito aposentado, o coronel Aldrin agora orbita as dimensões mais íntimas de sua mente, um universo secreto tão profundo e misterioso quanto o alcance da Lua.

Como um jovem militar, meu caminho levou-me a um encontro próximo com o coronel Aldrin, há mais de 30 anos. Como motorista de um carro com um rádio, servi na Base da Força Aérea Lackland quando o coronel Aldrin estava passando por uma série de testes lá. Uma tarde, meu rádio trouxe a mensagem de que o coronel Aldrin precisava ser levado para Wilford Hall, o grande hospital da base. Infelizmente, meu carro não foi escolhido. Muitas vezes eu me perguntei se a ‘crise nervosa’ que este astronauta notável sofria foi devido à pressão do governo ou não. Eu acho que foi.

Por que o coronel Aldrin sofreu uma ‘crise nervosa’ naquele momento? O peso da celebridade súbita, certamente. “Endeusamento” pela imprensa e massas adoradoras. Mas havia algo mais.

De acordo com Fred Steckling, autor do livro, We Discovered Alien Bases on the Moon II (Descobrimos Bases Alienígenas na Lua II), Aldrin poderia ter tido a intenção de proclamar a verdade do que viu. Muito provavelmente, os funcionários do Pentágono e da Casa Branca, receosos como sempre, o teriam persuadido, convencido ou ameaçado para não fazê-lo.

De acordo com Steckling:

"Esta é uma lista de fatos que aprendi de vários indivíduos que trabalham, ou que trabalharam, ou que estavam vinculados com a NASA de alguma forma ao longo dos anos. Por razões óbvias, agora não usarei seus nomes reais. A lista abaixo representa algumas das informações de três pessoas: uma atualmente está trabalhando em  missões para a NASA no Departamento de Defesa (​​DOD), outro que começou a trabalhar com a NASA e o DOD quando o JSC (Johnson Space Center) foi construído.
O terceiro é um cientista que trabalhou na NASA e outras instalações, e com Edward Teller.
Há edifícios na Lua. Há equipamentos de mineração na Lua.
Fotos, fotos da NASA, existem, as quais mostram claramente ambos. Centenas, mas provavelmente milhares, de fotos da NASA foram adulteradas. Especificamente, pelo uso cuidadoso de um aerógrafo, discos voadores e outros OVNIs podem ser removidos e, em seguida, a foto é liberada para o público e / ou imprensa.
O filme feito pelos astronautas mostra claramente OVNIs, OVIs, Veículos Alienígenas, etc. A NSA (Agência Nacional de Segurança) filtra todas as fotos antes de serem divulgadas ao público. Tudo o que a NASA liberou foi monitorado de perto por pelo menos uma cultura ‘alienígena’.
A NASA sabia sobre a atividade ‘alienígena’ na Lua antes que Armstrong, Aldrin e Collins lá pisassem. Edwin Aldrin, a um dado momento, encontrou evidências de que não éramos os primeiros a chegar na Lua. Depois de ver e tirar fotografias de pegadas no solo lunar (Aldrin), viu os seres que fizeram as pegadas (o relatório e as transcrições das conversas entre os astronautas não foram claras se Aldrin teve contato físico e / ou mental com as entidades).
Os veículos alienígenas voaram a menos de 15 metros de um veículo espacial dos EUA durante uma órbita terrestre completa e, em seguida, o VA partiu; novamente enquanto Aldrin estava presente. ‘Buzz’ Aldrin teve uma ataque nervoso por causa desses eventos e devido a pressão para não falar. Houve 22 mortes (muitos ‘suicídios’) no JSC em Houston. Nenhum astronauta que tenha visto AV ou ETs tem permissão para falar sobre isso, mesmo entre eles. Se o fizerem e forem pegos, eles podem ser multados, humilhados publicamente, presos ou terem todas as pensões e futuros salários retirados."

Quanto do relato acima é ficcional e quanto é fato? Somente aqueles que foram para a Lua e regressaram sabem com certeza. Há muitos relatos de segunda mão e supostas conversas, (pesquise no Google sobre Avistamentos de OVNIs por Astronautas), onde ambos, Aldrin e Armstrong, declaram em termos inequívocos que viram enormes naves e outros sinais de ocupação alienígena da Lua.

Return to Earth (Retornar à Terra), a autobiografia de Aldrin, conta sua luta com a depressão e alcoolismo após sua longa e dedicada carreira na USAF e na NASA. A NASA, a CIA e o Pentágono obrigaram o coronel Aldrin (e todos os outros astronauta) a ocultar o que viram na Lua? Quanto disso contribuiu para os problemas mentais de Aldrin?

Algum tempo atrás, o Science Channel exibiu um programa chamado ‘First on the Moon: The Untold Story‘ (Primeiro na Lua: A História Não Contada). Um segmento descreveu um encontro com OVNI que os astronautas do Apolo 11 testemunharam durante o vôo para a Lua. Aldrin falou de algo que viu.

Dave Stone escreveu:

"Para o meu melhor conhecimento, esta é a primeira vez que Buzz Aldrin, um astronauta Apolo 11, já relatou publicamente qualquer experiência de OVNI associada à missão lunar Apolo 11."

Buzz Aldrin observou:

"Havia algo lá fora, que estava perto o suficiente para ser observado, e o que poderia ser? … Mike (Collins) decidiu que poderia ver aquilo no telescópio e ele conseguiu, e quando estava em uma determinada posição, que tinha uma série de elipses, mas quando você o colocava em foco, era uma forma de L."

O cientista sênior da NASA, Dr. David Baker, disse:

"A NASA sabia muito pouco, hum, o objeto relatado pela equipe Apolo 11. Era obviamente um objeto voador não identificado. Mas tais objetos não eram incomuns e a história dos vôos espaciais na órbita terrestre nos anos anteriores indicou que várias tripulações viram objetos."

Aldrin observou:

"Agora, obviamente, nós três não íamos declarar, “Hey Houston, temos algo se movendo ao nosso lado e nós não sabemos o que é”. Não estávamos prestes a fazer isso, porque sabíamos que essas transmissões seriam ouvidas por todos os tipos de pessoas e quem sabe o que alguém teria exigido que voltássemos por causa dos alienígenas, ou seja qual for o motivo, então não o fizemos, mas decidimos apenas perguntar cautelosamente a Houston, onde, e o quão longe estava o S-IVB."

O S-IVB serviu como terceiro estágio do foguete Saturno V e segundo estágio no Saturno IB. Possuia um motor J-2. Para a missão lunar ele foi usado duas vezes: primeiro para a inserção em órbita após o corte do segundo estágio, e depois para a injeção trans lunar (TLI). Naquele momento, a NASA relatou que o estágio estava a 6.000 milhas (9.600 km) atrás.

Aldrin respondeu:

"E depois de alguns momentos decidimos que, após o observarmos (OVNI), era hora de dormir e não falar mais sobre isso até que voltássemos e passássemos pelo interrogatório."

Talvez um dia, um astronauta vivo, um herói se apresentará e, francamente, dirá o que viu e pelo que passou.

Um proeminente pesquisador de OVNI observou:

'Um desses caras – mais cedo ou mais tarde – tem que vir ao público. Este é um acobertamento cósmico da ordem mais alta."

O cientista da NASA, David Baker, disse:

"Havia muitas pessoas dentro do programa que saíram mais tarde e se convenceram de que os OVNIs existiam. Isso causou alguma preocupação por parte da NASA, onde eles conseguiram um acordo da equipe para nunca falar publicamente sobre essas coisas, por medo da ridicularização."


Assista abaixo um vídeo de uma entrevista como finado astronauta da NASA, Gordon Cooper, onde ele relata duas de suas experiências onde avistou OVNIs (Para informações de como ativar a legenda em português, embora esta não seja precisa, clique aqui):


E a lista de astronautas que viram OVNIs não para por aí. São muitos mais, e abaixo está um artigo que fala de mais alguns que se  manifestaram, entre muitos que ainda se mantêm em silêncio:


Alguns avistamentos de OVNIs / UFOs por astronautas da NASA

Em 12 de setembro de 2006, um objeto anômalo é visto sendo refletido no visor do astronauta Joseph R. Tanner, da missão STS-115, enquanto ele acenava para uma câmera digital da sua colega astronauta, Heidemarie M. Stefanyshyn-Piper.

Toda a informação a respeito de alienígenas pode ser bem aceita a um público selecionado, mas para aqueles que não crêem, a história de astronautas da NASA que avistaram OVNIs pode vir como surpresa.  Um site anônimo, com o domínio syti.net, bem como vários outros sites na Internet, documenta vários astronautas que alegadamente fizeram declarações de terem encontrado OVNIs durante seu trabalho.

O Major Gordon Cooper foi um dos primeiros astronautas da missão Mercury e o último a voar no espaço sozinho.  Cooper deixou uma importante mensagem para a estação de rastreamento, Muchea, perto de Perth, na Austrália.  O astronauta relatou um avistamento de um objeto com brilho verde se aproximando de sua cápsula.  O OVNI foi detectado pelo seu radar, mas Cooper foi aconselhado a não comentar sobre o avistamento.  Ele também afirmou ter visto um outro OVNI, quase uma década antes do seu voo espacial, quando estava pilotando um Sabrejet F-86 sobre a Alemanha ocidental.  Cooper falou para as Nações Unidas, e em muitas ocasiões disse que os astronautas “vivem em segredo porque os Estados Unidos temem a reação da população”.

A luz verde surgiu novamente numa recente reportagem da CNN, no dia dois de janeiro de 2014.  Tom Watkins, da CNN, reportou sobre um agroglifo elaborado que foi encontrado na propriedade de um fazendeiro na Califórnia, a somente duas horas de carro ao sul de São Francisco.  Luzes verdes foram vistas e gravadas por um observador.  Muitas pessoas especulam entre o caso de serem alienígenas ou algo forjado. Porém, o agroglifo circular é similar em descrição à maioria de relatos de casos de OVNIs

Outros avistamentos de OVNIs de astronautas da NASA incluem o de Donald Slayton, que também foi um astronauta da missão Mercury.  Ele alega ter visto um OVNI durante um voo num caça P-51, em 1951, sobre Minneapolis. Primeiramente o objeto parecia para ele como uma pipa, mas logo deu para ver que objeto tinha a forma de disco.  Ele perseguiu o objeto até que o mesmo desapareceu.

O Major Robert White, em 1962, também relatou um avistamento de OVNI.  White estava testando um X-15 que também foi pilotado por Joseph A. Walker no mesmo ano.  Walker foi um piloto da NASA, cuja tarefa era a de realmente detectar OVNIs.  Ele alega ter filmado muitos avistamentos, embora as filmagens nunca foram liberadas.

Em 1973, o comandante da Missão Apolo 17, Eugene Ceman, declarou num artigo para o Los Angeles Times, que os OVNIs eram de “diferentes civilizações“.

Edward Higgins White (o primeiro estadunidense a fazer uma “caminhada espacial”) e James Mcdivitt em 1965, tiraram fotos de um OVNI metálico com longos braços.  Uma pessoa poderia imaginar que este era somente um objeto de outro país mais avançado.  Porém, mais astronautas relataram sobre a possibilidade de vida extraterrestre.

James Lovell e Frank Borman reportaram por rádio, enquanto no espaço durante seu voo de 14 dias em 1965: “Bogey, às 10 horas, ao alto“, ou seja: “Aeronave não identificada, ligeiramente à esquerda, numa posição elevada“.

Em 1969, Neil Armstrong e Edwin Aldrin relataram uma misteriosa experiência na Lua.  Abaixo, uma transcrição do que se alega ter sido transmitido:

NASA: O que está lá?  Controle da missão chamando Apolo 11.
Apolo 11: Estes ‘bebês’ são grandes, senhor!  Enormes!  Oh meu Deus!  Você não vai acreditar nisso!  Estou lhe dizendo que há outras espaçonaves lá, alinhadas no lado oposto da beira da cratera!  Eles estão na Lua nos vigiando!

Armstrong alegou que havia uma base na Lua e ele foi alertado pelos alienígenas a não permanecer por lá.  Ele não entrou em detalhes, mas indicou que a CIA estava por detrás do acobertamento.  Maurice Chatelain, em 1979, ex-Chefe de Sistemas de Comunicação da NASA, confirmou que Armstrong teria mesmo relatado ter visto os OVNIs.  Chatelain falou sobre o codinome ‘Santa Claus’ (Papai Noel), que começou a ser usado como resultado de Walter Schirra, da missão Mercury 8, ter atribuído o nome para qualquer avistamento de OVNI.  James Lovell deu continuidade a este termo e o declarou numa transmissão para que todo o público escutasse: “Por favor estejam informados que Papai Noel existe“.

Scott Carpenter, um astronauta, mergulhador e piloto de testes, foi um dos primeiros astronautas do Projeto Mercury da NASA, em 1959.  Ele teria declarado: “Em momento algum, quando os astronautas estavam no espaço, eles ficaram sós.  Havia uma constante vigilância pelos OVNIs“.

– Texto de Lindsey Alexander, traduzido e adaptado por n3m3 (OVNIHoje)

O histórico das missões espaciais, tanto estadunidenses quanto russas, estão repletas de relatos de OVNIs se aproximando dos astronautas/cosmonautas.  Certamente, estes indivíduos altamente treinados não iriam sair por aí inventando estórias.  A realidade é que há mesmo um fenômeno ainda não explicado, pelo menos para a população em geral, que para as missões espaciais ocorre desde seu início na década de 1950, e continua a ocorrer ainda nos dias de hoje.

Quem assiste constantemente a transmissão ao vivo pela Internet da Estação Espacial Internacional, pode muito bem respaldar este fato.  É só uma questão de tempo até que um objeto anômalo apareça no vídeo e a NASA corte a transmissão com sua famosa tela azul.

Fonte1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um comentário educado! Siga a política do 'se não pode dizer algo construtivo e legal, não diga nada.'